Publicidade

Posts com a Tag PT

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 Partidos | 18:44

PT convoca deputados mais “experientes” para comissão do impeachment

Compartilhe: Twitter

O PT deve bater o martelo na próxima semana em relação aos membros da comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, acatado nesta semana pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O partido da presidente tem oito vagas na comissão e pretende optar pelo critério da “experiência” para a definição dos nomes.

Pelo menos seis deputados já estão entre os que participarão da comissão: Arlindo Chinaglia (SP), Carlos Zaratini (SP), Wadih Damous (RJ), Paulo Pimenta (RS), Paulo Teixeira (SP) e o atual líder do partido na Câmara, Sibá Machado (AC).

A reunião da bancada está marcada para as 14 horas de segunda-feira (7)

Autor: Tags: , , , , , ,

Sem categoria | 15:53

Para petistas, Temer “saliva” mais por impeachment que Aécio

Compartilhe: Twitter
O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB). Foto: Agência Brasil

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB). Foto: Agência Brasil

Embora o governo insista em dar a Temer a credibilidade esperada de um vice-presidente, petistas da Câmara se dizem reticentes com o comportamento do vice, considerado altamente suspeito de traição.

Nos bastidores, um petista graúdo fez um paralelo entre Temer e o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, que tem adotado um comportamento de apoio mais “sóbrio” ao impeachment.

Na opinião do deputado do PT, só há uma pessoa que “saliva” mais pelo impeachment que Aécio: o vice.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 Partidos, Política | 12:53

Lula admite mudança de discurso de Dilma após a eleição

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente, que nos bastidores tem orientado a presidente Dilma contra o aperto na economia, admitiu, durante a reunião do Diretório Nacional do PT, que a presidente teve que adotar uma prática na condução da economia após as eleições, diferente do que ela pregou durante a campanha.

“Nós tivemos problemas políticos sérios, que nós temos que encarar. Todo mundo sabe que nós temos. Depois que nós ganhamos a eleição mais difícil que nós participamos, uma eleição muito difícil, inclusive, pela agressividade da campanha contra nossa presidenta Dilma Rousseff, nós tivemos que mudar o nosso discurso e fazer aquilo que a gente dizia que não ia fazer. Este é um fato. Este é um fato conhecido de 204 milhões de habitantes e conhecido da nossa presidente Dilma Rousseff”, disse Lula.

O ex-presidente ainda defendeu que passa pela melhoria das condições da economia a solução para a crise de imagem do partido e do próprio governo. “A única condição para começar a recuperar o prestígio é recuperar a economia”, disse o ex-presidente. “Acontece que nem sempre quando a gente está no governo a gente consegue executar as coisas como  a gente pensa que tem que ser”, ponderou Lula que pediu empenho da bancada para aprovar as medidas do pacote.

“Qual é a prioridade zero do nosso partido no Congresso Nacional hoje? É a gente criar condições para aprovar as medidas que a presidenta Dilma mandou para o Congresso Nacional para que ela encerre definitivamente essa ideia do ajuste, para que a gente possa ver a economia voltar a crescer”, disse Lula. “Sem a conclusão desse ajuste, ficamos numa confusão política muito grande”.

 

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 1 de setembro de 2015 Partidos | 14:58

Presidente do PT participará de frente contra política econômica

Compartilhe: Twitter

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, participará no próximo sábado (5), em Belo Horizonte, do encontro de movimentos sociais com objetivo de criação de uma frente política que tem, entre suas convicções, uma crítica forte em relação a condução da política econômica do governo.

Puxam a frente, entidades como a Central de Movimentos Populares, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST ), a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB).

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 5 de agosto de 2015 Brasil, Partidos, Política | 17:49

PT teme multa e suspensão do fundo partidário

Compartilhe: Twitter

Além de ter que administrar a própria crise de imagem, agravada pelas denúncias que atingem seu ex-tesoureiro João Vaccari Neto, e a prisão do ex-ministro José Dirceu, ícone do partido, o PT ainda convive com outro fantasma: a perspectiva de perder três meses de repasses do fundo partidário e ter que pagar uma multa no valor de R$ 4,9 milhões, imposta pela Justiça Eleitoral que desaprovou parcialmente as contas do partido de 2009.

Por enquanto, a penalidade imposta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em abril deste ano, está suspensa por um recurso apresentado pelo partido.

 

Autor: Tags: , ,

sábado, 13 de junho de 2015 Brasil, Partidos, Política | 15:58

Para Paulo Rocha, venceu o PT que quer influenciar mais no governo

Compartilhe: Twitter

Ao deixar o 5º Congresso do PT, neste sábado, o senador Paulo Rocha (PT-PA) avaliou que o PT vencedor no Congresso é o que quer influenciar mais nas decisões do governo da presidente Dilma Rousseff. O encontro serviu para explicitar as insatisfações dos petistas em relação a política de alianças e a condução da economia. “A insatisfação existe”, disse o deputado que faz parte da corrente majoritária do partido.

Autor: Tags: ,

Brasil, Partidos, Política | 15:40

Por consenso, PT faz defesa de Vaccari, preso na Lava Jato

Compartilhe: Twitter

O PT aprovou por consenso a defesa de seu ex-tesoureiro João Vaccari Neto, preso, desde o mês de abril, devido a suspeita de envolvimento na Operação Lava Jato, que investiga o esquema de propina instaurado na Petrobras.

Ao final do 5º Congresso do partido, o presidente da legenda, Rui Falcão, disse que sua prisão faz parte da tentativa de criminalizar o partido. “O Vaccari não é culpado. Ele nunca levou dinheiro do partido e está sendo preso injustamente. Há uma tentativa de crimilizar o partido e sua prisão faz parte disso. O que ele fez foi exatamente a sua função que é a de coletar recursos para o partido, via transação bancária, declaradas a Justiça Eleitoral”, defendeu.

Autor: Tags: , , ,

Brasil, Congresso, Eleições, Governo, Partidos, Política | 15:18

Rompimento com o PMDB desestabilizaria governo Dilma, avalia Rui Falcão

Compartilhe: Twitter

Ao fim do 5º Congresso do PT, o presidente do partido, Rui Falcão, avaliou que o rompimento com o PMDB poderia desestabilizar ainda mais o governo da presidente Dilma Rousseff. A proposta apresentada pela esquerda do partido foi derrotada pelos delegados da corrente majoritária na manhã deste sábado (13), em Salvador (BA).

“É evidente que há no PT manifestações. A gente não esconde. Agora não há nenhuma condição, nenhum propósito de romper aliança no Congresso nacional com os parceiros que integraram a nossa coligação”, disse o presidente do PT.

Para Falcão, os problemas com o PMDB e com outros partidos da base devem ser resolvidos na negociação política. “Isso requer conversa, negociação política e não, simplesmente, um rompimento unilateral que, tal a conjuntura que vivemos hoje, poderia levar uma desestabilização do nosso governo”, disse Rui Falcão ao final do encontro do partido.

“O trabalho de costura das lideranças, da presidente, e nós mesmos, no diálogo com os outros partidos, é procurar o de dar estabilidade e governabilidade à nossa presidente, para o nosso governo”.

Apesar dos problemas com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que vem imprimindo constrangimentos ao governo e ao PT desde sua posse no cargo, Falcão aconselhou a manutenção da aliança.

“O Congresso Nacional é o que o povo elegeu. Trata-se de um Congresso contraditório, agora com mais participação de representantes do conservadorismo. Mas é o Congresso que é um Poder constituído. Nós temos nos relacionar com ele. É evidente que há contradições dentro da base aliada, não só com o PMDB”, reconheceu.

“Neste processo há contradições, há oposições. a principal delas é que tem oposto um setor grande do Congresso a um tipo de governança que imprime o presidente da Câmara, como se viu agora, neste episódio da votação do financiamento empresarial”, avaliou.

 

 

Autor: Tags: , , ,

Partidos, Política | 12:53

“Fora Levy” vira texto ameno em “Carta de Salvador”

Compartilhe: Twitter

As críticas duras ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e ao pacote de ajuste fiscal deram lugar a texto ameno sobre a necessidade de retomar o crescimento econômico e a política de empregos, durante o 5º Congresso do PT, nesta semana, em Salvador (BA).

Durante a votação da Carta de Salvador, a única alteração admitida pelos governistas no texto base em relação à política econômica foi a seguinte: “É preciso conduzir a orientação geral da política econômica para a implementação de estratégias para a retomada do crescimento, para defesa do emprego, do salário e demais direitos dos trabalhadores que permitam ampliação das políticas sociais.”

Autor: Tags: , , ,

Partidos | 12:04

Em Salvador, petistas reclamam de indefinição de Dilma sobre fator previdenciário

Compartilhe: Twitter

 

A falta de uma sinalização mais clara da presidente Dilma Rousseff se vetará a medida que acaba com o fator previdenciário causou dificuldades de negociação com os petistas ligados à Central Única do Trabalhadores (CUT) no 5º Congresso do PT, que ocorre em Salvador neste fim de semana.

Petistas governistas esperavam que a presidente, ao comparecer a abertura do evento na última quinta-feira desse sinal do que vai fazer e apontasse o que o governo apresentará de alternativa, caso a presidente realmente vete a medida aprovada no Congresso, dentro do pacote fiscal.

“Ela poderia ter chamado o Vagner Freitas (presidente da CUT) e dito que o governo está pensando”, reclamou o deputado Paulo Rocha (PT-PA), que pertence à corrente majoritária do governo.

O ministro da Previdência, Carlos Gabas, e da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, só conversarão com as centrais na próxima terça-feira para apresentar as alternativas do governo. Dilma tem até quinta-feira para vetar a proposta. Os sindicalistas não querem o fim do fator previdenciário mas ainda esperam ouvir o que o governo tem para apresentar de compensação.

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. 30
  10. Última