Publicidade

Posts com a Tag PV

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 Eleições | 07:30

Sem mandato, deputada do PV diz que vai tirar um ‘ano sabático’ da política

Compartilhe: Twitter
A deputada federal Rosane Ferreira (PV-PR). Foto: Agência Câmara

A deputada federal Rosane Ferreira (PV-PR). Foto: Agência Câmara

Após disputar sem sucesso o cargo de vice-governadora do senador Roberto Requião (PMDB-PR), a deputada federal Rosane Ferreira (PV-PR) decidiu tirar um “ano sabático” da política.

Rosane tem dito que vai dedicar o ano de 2015 à sua profissão de enfermeira, da qual pretende se aposentar em breve. “Vou tirar esse ano sabático e, só depois disso, irei decidir se vou concorrer de fato à prefeitura de Curitiba”, explica.

 

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 Estados | 13:30

Verde sonha com secretaria em governo de Pezão

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). Foto: Agência Câmara

O deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). Foto: Agência Câmara

Sem mandato pelos próximos anos, o deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ) só fala em “ajudar” o governador eleito Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) ao se despedir dos colegas parlamentares pelos corredores da Câmara.

O verde foi um dos principais responsáveis pelo apoio da sigla à candidatura de Pezão já no primeiro turno, quando o partido oficialmente ainda fazia parte da aliança para eleger o petista Lindbergh Faria. Agora, espera uma recompensa. A negociação, porém, ainda está em andamento.

Atualmente, o único nome já confirmado para integrar o secretariado de Pezão é o do atual secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, um dos principais responsáveis pelo projeto das Unidades de Polícia Pacificadora.

Assista: ‘Hoje a maconha está liberada’, diz deputado que defende legalização da droga

Autor: Tags: , , , , , ,

Partidos | 12:00

Fusão entre PSB e PPS só sai se as regras mudarem

Compartilhe: Twitter

A ideia tão sonhada pelo PPS de se fundir ao PSB só sai do papel se a Justiça Eleitoral mudar seu entendimento sobre as regras para a consolidação de legendas. Nos últimos dias, os dois partidos fizeram uma análise do cenário e chegaram à conclusão de que, do jeito que está, mais perdem do que ganham.

Mas ambas seguirão os planos da atuação em bloco no Congresso para, quem sabe lá na frente, retomar as negociações.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Eleições | 10:30

Falar em legalizar maconha é ‘sucesso impressionante’, diz deputado do PV

Compartilhe: Twitter
Deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). (Foto: Agência Câmara)

Deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). (Foto: Agência Câmara)

O deputado federal e candidato à reeleição Eurico Júnior (PV-RJ) diz que se surpreendeu com a boa aceitação do eleitorado carioca sobre seu projeto de lei que legaliza o uso, o cultivo e a comercialização da maconha.

“Nossa, falar do meu projeto da legalização da cannabis faz um sucesso impressionante, especialmente aqui na Zona Sul do Rio de Janeiro”, conta o deputado. “A gente até reforçou a panfletagem, agora sempre tem gente da campanha naquela área, a aceitação é ótima”, comemora.

Assista: ‘Hoje a maconha está liberada’, afirma Eurico Júnior

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 2 de outubro de 2014 Eleições | 07:30

Desempenho de Lindbergh Farias azeda relação entre aliados

Compartilhe: Twitter
Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

Lindbergh Farias (Foto: José Cruz/ABr)

Diante da possibilidade cada vez mais remota de uma recuperação do petista Lindbergh Farias na disputa pelo Palácio da Guanabara, a relação entre os partidos aliados da coligação vai de mal a pior.

De um lado, o PV acusa Lindbergh de ter abandonado a campanha e usa o argumento para justificar a debandada oficial de pelo menos 18 candidatos para a campanha do peemedebista Luiz Fernando Pezão, líder nas intenções de voto.

De outro, PCdoB e PT criticam a traição e evitam discutir eventuais apoios num segundo turno, antes de domingo. Do PSB, o que se sabe é que há a intenção de negociar um palanque o mais distante possível de Dilma, no segundo turno.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 19 de setembro de 2014 Eleições | 15:07

Eduardo Jorge faz pausa na campanha para ser jurado em Nova York

Compartilhe: Twitter
O presidenciável do Partido Verde, Eduardo Jorge. (Foto: Divulgação)

O presidenciável do Partido Verde, Eduardo Jorge. (Foto: Divulgação)

O presidenciável Eduardo Jorge fará uma pausa de alguns dias em sua campanha para participar de compromissos em Nova York. O candidato viaja no próximo domingo e só retoma a agenda eleitoral na próxima quarta-feira.

Leia mais: ‘Estão todos acostumados a ver candidatos robôs’, diz Eduardo Jorge

Jorge será jurado de uma cerimônia que premiará dez cidades líderes em experiências para enfrentar o aquecimento global e as mudanças climáticas. A premiação é promovida pela rede de cidades C40, fundada na época em que Eduardo Jorge era Secretário do Meio Ambiente em São Paulo.

Não é a primeira vez que o candidato surpreende, ao desperdiçar parte do tempo de campanha. No primeiro debate televisivo entre os presidenciáveis, o verde arrancou risos da plateia ao abrir mão do final de seu tempo, com uma resposta lacônica.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 Eleições | 12:00

Sozinho, PV tenta garantir ao menos uma vaga de deputado no Rio

Compartilhe: Twitter
Deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). (Foto: Agência Câmara)

Deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ). (Foto: Agência Câmara)

Ao optar por uma disputa independente nas eleições proporcionais do Rio de Janeiro, o Partido Verde espera garantir sua vaga de deputado federal.

Enquanto outros partidos da coligação majoritária já falam em uma redução de bancada federal, os verdes esperam reeleger o deputado federal Eurico Júnior (PV-RJ).

Leia também: Aliados pressionam Lindbergh a se aproximar de Marina

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 1 de setembro de 2014 Eleições | 20:48

Após debate, Suplicy é só elogios a candidato do PV

Compartilhe: Twitter
Senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Foto: Divulgação

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Foto: Divulgação

Sem desmerecer a atuação da presidente Dilma Rousseff, o senador e candidato à reeleição Eduardo Suplicy (SP) se rendeu ao carisma do presidenciável Eduardo Jorge (PV), após o segundo debate ao vivo entre os principais presidenciáveis, realizado nesta noite.

Leia também: ‘Estão todos acostumados a ver candidatos robôs’, diz Eduardo Jorge

“Achei que o Eduardo Jorge se comportou como a figura de Plínio de Arruda Sampaio, ele estava bastante solto”, afirmou Suplicy, que assistiu  ao debate nos estúdios do SBT, em São Paulo. “Não que eu concorde com tud o que ele falou, mas não há como negar que ele se destacou e demonstrou muita simpatia nos dois debates.”

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 31 de agosto de 2014 Eleições | 08:00

‘Estão todos acostumados a ver candidatos robôs’, diz Eduardo Jorge

Compartilhe: Twitter

Sensação no primeiro debate realizado entre os presidenciáveis, o candidato do Partido Verde, Eduardo Jorge, garante que não tem marqueteiro, nem ninguém que decida por ele suas roupas ou posicionamentos. “Só me faltava essa”, disse o presidenciável em entrevista ao Poder Online. “A última que tentou isso foi minha mulher. Ela tenta me controlar, me dizer como me vestir, como eu devo andar, mas não consegue!”

O presidenciável do Partido Verde, Eduardo Jorge. (Foto: Divulgação)

O presidenciável do Partido Verde, Eduardo Jorge. (Foto: Divulgação)

Jorge diz ter ficado lisonjeado com a comparação feita entre ele e o ex-presidenciável Plínio de Arruda, falecido neste ano, mas explica que PV e PSOL são bastante diferentes.  “PSOL, PT, PSB e PSDB fazem parte da mesma família socialista”, diz o presidenciável. “Nós somos a verdadeira terceira via, nos diferenciamos dos partidos capitalistas e socialistas. O PSOL tem o peso da ortodoxia marxista comunista.”

O verde garante, ainda, que tanto a presidente petista Dilma Rousseff como o tucano Aécio Neves também defenderiam publicamente a legalização do aborto e da maconha, se as pesquisas qualitativas assim o permitissem. “São pessoas que têm medo de expressar sua opinião sobre temas tão graves como esses, porque são guiados pelas pesquisas qualitativas o tempo todo”, diz Jorge.

Leia a seguir a conversa com o presidenciável:

Poder Online: O senhor se surpreendeu com a repercussão que sua participação teve após o primeiro debate?
Eduardo Jorge:
As pessoas é que se surpreendem com um candidato defendendo o que ele é, talvez. Sem maquiagem. Tá todo mundo acostumado a ver candidatos robôs, maquiados, comandados por marqueteiros. Quando uma pessoa se mostra como ela é, parece uma coisa estranha.

O senhor tem marqueteiro?
Se você fala em uma pessoa para tomar conta da televisão, sim. Mas quem decide o que eu devo falar sou eu.

E alguém para ajudar a decidir como o senhor vai se vestir, como vai se comportar, em que discurso investir…
A roupa que eu vou usar? (risos) Só me faltava essa. A última que tentou isso foi minha mulher. Ela tenta me controlar, me dizer como me vestir, como eu devo andar. Mas não consegue!

Muito dessa repercussão veio com a defesa de temas polêmicos, como a legalização do aborto e do uso da maconha. Nas eleições isso ainda é tratado como tabu. Por que?
Com exceção da Marina, por uma questão religiosa, os outros dois candidatos daquele que poderíamos chamar de G3 (Dilma Rousseff do PT e Aécio Neves do PSDB) são pessoas cosmopolitas, viajadas. Eu tenho certeza de que pensam igual a mim, nesses temas.

Por que eles não falam sobre isso abertamente?
Porque o pessoal fica medindo a opinião do povo com pesquisas qualitativas e dizendo sobre o eles podem ou não falar. São pessoas que têm medo de expressar sua opinião sobre temas tão graves como esses, porque são guiados pelas pesquisas qualitativas o tempo todo.

Nos últimos dias, o senhor foi comparado com o ex-candidato à presidência Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL. O que o senhor achou disso?
O Plínio foi uma pessoa de formação cristã muito ortodoxa e acho que ele evoluiu para uma postura mais liberal no final da vida dele, acho que por isso essa semelhança. Chegando naquela idade, ele disse “agora eu vou ser espontâneo e falar o que eu penso”. Qualquer pessoa ao ser comparada a um homem com aquela trajetória tem que se sentir lisonjeado. Nós fomos companheiros durante muito tempo no PT, às vezes a gente concordava, às vezes não, mas eu sempre o admirei muito.

Algumas pessoas disseram que o senhor ofuscou a presidenciável do PSOL, Luciana Genro, ao fazer uma defesa mais incisiva de certas pautas da esquerda. O senhor concorda com essa avaliação?
Eu não estou concorrendo com A, B ou C. Estou ali para mostrar as minhas ideias e as do PV. Cada um que apresente suas ideias. Agora, o PSOL tem uma dificuldade que é o peso da ortodoxia marxista comunista dentro da regra. O peso é muito grande, porque a responsabilidade do regime comunista sobre o que aconteceu de brutal no século 20 é tão grave quanto a do regime capitalista. Você defender hoje uma luta que inclua a possibilidade de uso da violência revolucionária, no século 21, que deveria ser o século caracterizado pela cultura da paz, é um peso muito grande.

É isso que diferencia o PV do PSOL?
Eu não me comparo ao PSOL, me comparo aos partidos socialistas e capitalistas. Nós somos a verdadeira terceira via, para usar a palavra da moda. Naquela bancada, tinham vários partidos da família da esquerda. Ali tinha o PSB, o PSOL, o PT, o PSDB. Todos os quatro da mesma grande família socialista. Eu não considero o PSDB de direita, é um partido de centro-esquerda. São uma grande família, se brigam tanto é porque família é assim.

Apesar de ter defendido pautas importantes para a esquerda, o senhor foi questionado pelo movimento feminista por ter criticado a aparência da presidenciável Marina Silva, chamando-a de “magrinha”.
Mas eu não fiz uma crítica, foi um elogio. Olha, eu gosto dela, disse aquilo com o maior carinho possível. Isso vale pra mim também, da próxima vez vou dizer “magrinho igual a mim”.

E se fosse uma candidata “gordinha”, o senhor faria a mesma crítica?
Não, aí eu não falaria isso. Aprendi com as minhas filhas e as amigas delas. Mas hoje, pelo que eu sei, chamar de magrinha é um elogio. Vai dizer que tá errado? Muita gente me diz, “olha, como você é magro?” e eu acho bom. Coitado de mim! As mulheres ficam muito sensíveis.

Sensíveis? Isso não é outro estereótipo que poderia desqualificar as mulheres, também?
Não, não acho, não. A coisa mais chata que tem nos homens é ser insensível. Eu acho lindo as mulheres serem mais sensíveis do que esses homens grossos. Quando a sensibilidade feminina reina, elas são melhores governantas. A mulher é mais afetiva, mais agregadora. O homem é muito dado à violência, à disputa. Na cultura de paz, a mulher dá no homem de quinze a zero.

Após o debate, o senhor disse que o Partido Verde precisava da força dos jovens. No entanto, os principais quadros do PV estão à frente do partido há bastante tempo. O deputado federal José Luiz Penna, por exemplo, preside a sigla desde 1999. Como fica a renovação?
Antes eu queria reforçar que o PV precisa tanto dos jovens quanto dos velhinhos. Mas, o que o PV propõe é uma grande renovação da política de baixo pra cima. Uma inversão do Brasil, que fortaleça os municípios e descentralize a política de Brasília. Se eu quero isso pro Brasil, obviamente que também quero pro PV. O partido tem que ir para os municípios e não ficar só no Diretório Nacional. Eu espero que a minha pregação caia em bom terreno.

O senhor tem investido cada vez mais na campanha virtual. Depois do debate disse que tinha aprendido, finalmente, o que era um meme e ontem lançou um programa com transmissão ao vivo na internet. Que outras estratégias o senhor tem pensado?
Essa é uma campanha relâmpago. O PV defende uma reforma política com financiamento exclusivamente público e eu, voluntariamente, decidi não receber doações de empresas. Então, é uma campanha austera. Nós decidimos investir prioritariamente em entrevistas e debates, para expor nossas propostas.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 27 de agosto de 2014 Eleições | 18:00

‘Hoje eu finalmente entendi o que é um meme’, diz Eduardo Jorge

Compartilhe: Twitter
O presidenciável Eduardo Jorge (PV). Foto: Divulgação

O presidenciável Eduardo Jorge (PV). Foto: Divulgação

O candidato do PV à Presidência, Eduardo Jorge, virou sensação nas redes sociais após o debate da Band. Mas, até hoje, não entendia muito do assunto.

No Twitter, Jorge fez uma confissão: “Hoje eu finalmente entendi o que é um meme”, disse o ex-deputado federal em seu perfil pessoal, em referência às diversas montagens realizadas por internautas a partir de sua participação no debate.

Durante o debate, Jorge – que já foi secretário municipal nas prefeituras de Luiza Erundina (PSB), Marta Suplicy (PT), José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD) –  foi fiel defensor de propostas como a legalização do aborto e da maconha.

Leia também: Desempenho de Marina no debate impressiona equipe de Dilma  

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. Última