Publicidade

Posts com a Tag Randolfe Rodrigues

quarta-feira, 26 de agosto de 2015 Congresso | 14:07

Confusão de vozes arranca gargalhadas em sabatina de Janot

Compartilhe: Twitter
Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Ao confundir a voz aguda do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) com a da senadora Vanessa Grazziotin, (PCdoB-PA), o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, José Maranhão (PMDB-PB), foi responsável por um raro momento de descontração na sabatina do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nesta quarta-feira (26).

Randolfe pediu para falar logo após a longa fala do senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL). Prontamente, Maranhão concendeu a palavra: “Com a palavra a senadora Vanessa Grazziontin”.

“Não, presidente, sou eu”, corrigiu Randolfe, arrancando gargalhadas entre os presentes.

 

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Foto: Agência Senado

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Foto: Agência Senado

O amapaense teve jogo de cintura e esbanjou gentileza, ao receber o pedido de desculpas do presidente da comissão.

“Presidente, não me insulta a confusão com a senadora Vanessa até porque, meu timbre de voz é muito parecido com o da senadora”, disse Randolfe.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 20:07

Senadores sugerem que Dilma não fique a reboque de Renan na relação com Congresso

Compartilhe: Twitter
Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Ao se reunir com um grupo de senadores na noite desta quinta-feira (13), a presidente Dilma Rousseff aceitou a sugestão dada pelo grupo de ir ao Congresso falar sobre a situação de crise pela qual passa o país e o seu governo. Dilma se referiu ao Senado como um “poder moderador” nestes tempos de crise e se mostrou aberta ao diálogo.

“Encontramos uma presidente que não esperávamos encontrar. Primeiro, ela não transparecia preocupação ou tensão com o momento político pelo qual estamos passando. Além disso, ao contrário de falar, ela mais ouviu”, relatou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), que integra o grupo autodenominado “independente”.

Como forma de reverter a crise política, os senadores sugeriram que Dilma não fique a reboque do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e que apresente uma nova agenda de propostas que seja complementar à Agenda Brasil, apresentada por Renan. “Algo que tenha sido pensado pelo governo”, sugeriu Randolfe.

“Ela chegou a questionar se a agenda do PMDB não contemplava. Respondemos: Não contempla. A senhora precisa construir outra, ouvindo os movimentos sociais, a oposição e outras forças políticas”, disse o senador.

Autor: Tags: , , , , ,

Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 19:27

Senadores “independentes” se apresentam a Dilma como alternativa no Senado

Compartilhe: Twitter
Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), vai ao Planalto com grupo de senadores "independentes"

Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), vai ao Planalto com grupo de senadores “independentes”

O grupo de senadores que se autodenomina “independente” está reunido neste momento com a presidente Dilma Rousseff para se apresentar como “alternativa” de diálogo diante das dificuldades que o governo vem enfrentando no Congresso.

Fazem parte do encontro os senadores Acir Gurgaz, líder do PDT no Senado, Cristóvam Buarque (PDT-DF), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), João Cabiberibe (PSB-AP), Lasier Martins (PDT-RS), Lídice da Mata (PSB-BA) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

O encontro havia sido pedido ao vice-presidente Michel Temer, responsável pela articulação política, em carta enviada no início da semana.

Temer não respondeu e na quarta-feira (12) a assessoria da presidente retornou marcando o encontro que é considerado estratégico para reforçar o contraponto que o governo vem construindo no Senado, à oposição declarada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Ao Planalto, o diálogo ainda servirá para minimizar os efeitos das dissidências da base anunciadas pelo PDT e pelo PTB da Câmara, sob a influência de Cunha.

Tal como fez o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que sugeriu a chamada “Agenda Brasil”, os independentes chegaram ao Planalto com outra agenda que deverá servir de ponto de partida para a aproximação.

Entre as propostas estão as que tratam da reforma política e ainda as que envolvem o compromisso de que o ajuste fiscal não atingirá conquistas sociais e investimentos em infraestrutura.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 11 de agosto de 2015 Brasil, Congresso, Economia, Partidos, Política | 20:03

Renan bota para votar proposta sobre repatriação de recursos

Compartilhe: Twitter

Com a adoção da chamada “Agenda Brasil”, por parte do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a proposta que permite a repatriação de recursos ou patrimônio mantidos por brasileiros no exterior e não declarados à Receita Federal, ganhou prioridade na pauta do Senado e deverá ser votada nesta quarta-feira (12) no plenário.

A decisão de pautar o assunto foi tomada na reunião de líderes desta terça-feira.

O projeto é de autoria do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e conta com apoio do governo, que estima arrecadar cerca de 150 bilhões em impostos ao ano, considerando que os brasileiros tenham hoje cerca de 500 bilhões no exterior.

O projeto indica uma base de tributação de 35% sobre os recursos depositados fora do país. Caso seja aprovada, a proposta seguirá para sanção da presidente Dilma Rousseff.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 8 de julho de 2015 Congresso | 13:32

CPI do HSBC pedirá a Janot acesso a lista de beneficiários de contas na Suíça

Compartilhe: Twitter

O presidente da CPI do HSBC, Paulo Rocha (PT-PA), fará uma visita ao procurador-geral da República Rodrigo Janot.

Acompanhado pelo vice-presidente Randolfe Rodrigues (PSOL- AP) e do relator Ricardo Ferraço (PMDB-ES), Rocha pedirão que a CPI tenha acesso à listagem com os nomes de 8.667 brasileiros, detentores de 6.606 contas na agência suíça do HSBC que movimentaram, apenas entre 2006 e 2007, um volume de dinheiro supostamente não declarado e estimado em cerca de US$ 7 bilhões.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 23 de junho de 2015 Brasil, Governo, Partidos, Política | 14:05

Para Randolfe, CPI do HSBC já dá sinais de pizza

Compartilhe: Twitter

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) tem reclamado da condução dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC, que funciona no Senado com o objetivo de investigar as remessas suspeitas de empresários brasileiros para o exterior. Com 39 requerimentos apresentados, pedindo quebra de sigilo bancário e fiscal, Randolfe se irritou com a decisão do presidente da CPI, senador Paulo Rocha (PT-PA) de retirar os requerimentos da pauta. “CPI que não quebra sigilo bancário e fiscal não é CPI”, reclamou Randolfe.

“Não convocamos ninguém, não fomos a França para ouvir Hervé Falciani, que é o principal delator do caso do HSBC, não quebramos sigilo bancário e fiscal de ninguém, mesmo já tendo elementos. A CPI tem que sair do lugar e é isso que vou cobrar na reunião de hoje”, disse o senador.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 21 de maio de 2015 Política | 14:14

“Levy fica”, diz Dilma diante das críticas de senadores

Compartilhe: Twitter

A presidente Dilma Rousseff reagiu às críticas ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, feitas pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e antecipadas em entrevista ao iG.

“Este é um País democrático. As pessoas podem pensar diferente. Eu não tenho a mesma posição que o senador (Lindbergh Farias) em relação ministro Joaquim Levy. Ele é da minha confiança e fica no governo”, disse Dilma antes de oferecer um almoço no Itamaraty ao presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez.

Na entrevista ao iG, Lindbergh não só pediu alterações na política econômica, como também sugeriu a saída do ministro: “Ele pensa diferente do PT. Não tenho esperança de que, enquanto estiver no Ministério da Fazenda, o Levy mude o rumo.”

 

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Congresso | 16:03

‘Minha disposição é apoiar qualquer um que se oponha a Renan Calheiros’, diz Randolfe

Compartilhe: Twitter
Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). (foto: divulgação)

Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). (foto: divulgação)

A articulação para o lançamento da candidatura do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) à presidência do Senado já começou a reunir alguns entusiastas entre os insatisfeitos com a permanência de Renan Calheiros (PMDB-AL) no comando da Casa.

“Minha disposição é apoiar qualquer um que se oponha ao nome de Renan Calheiros”, diz Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). “Até o momento, o nome que está colocado para fazer esta oposição é o de Valadares, que contaria com o meu apoio e certamente com parte do PDT, do PT e do próprio PMDB”, completa.

Leia também: Valadares se movimenta, mas ainda não convence

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 28 de novembro de 2014 Congresso | 10:30

Corregedoria da Câmara já recebeu cinco denúncias contra Bolsonaro

Compartilhe: Twitter
Jair Bolsonaro (Foto: Renato Araújo/ABr)

Jair Bolsonaro (Foto: Renato Araújo/ABr)

Desde sua criação, em março de 2013, a Corregedoria da Câmara já recebeu cinco pedidos de representação por quebra de decoro contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ). Todas foram arquivadas pela Mesa Diretora da Câmara sob o argumento da “imunidade material”, que garante livre expressão aos parlamentares.

Entre os casos mais recentes está o da jornalista Manuela Borges, da Rede TV, a quem Bolsonaro chamou de idiota após ser questionado sobre o golpe militar. “Você é uma analfabeta! Não atrapalhe seus colegas, você está censurada!”, disse na época o deputado, visivelmente exaltado.

Boa parte das denúncias, entretanto, não chega a passar pela Corregedoria. É o caso do pedido de representação encaminhado na última semana pela deputada federal Érika Kokay (PT-DF). O documento foi arquivado pelo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), antes mesmo de ser analisado pela Corregedoria.

Outro exemplo ocorre quando as representações são encaminhadas pelos partidos diretamente ao Conselho de Ética. Foi o que fez o PSOL, no ano passado, quando afirmou que Bolsonaro teria agredido fisicamente o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) com um soco. Na época, a denúncia foi arquivada pois os conselheiros avaliaram que a agressão não podia ser comprovada pelas imagens apresentadas.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 Política | 12:00

‘Não vou desistir do PSOL, pelo menos por enquanto’, diz Randolfe

Compartilhe: Twitter
Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Randolfe Rodrigues (Foto: Divulgação)

Depois de sofrer as consequência por ter desistido de ser candidato do PSOL à presidência da República, o senador Randolfe Rodrigues (AP) diz que por enquanto qualquer plano de deixar o partido está congelado.

Ao falar de sua decisão de permanecer, fez menção ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que morreu num acidente aéreo no dia 13 de agosto.

“Parafraseando Eduardo Campos, não vou desistir do PSOL, pelo menos por enquanto”, afirmou o senador. Durante a campanha, Campos tornou famosa sua frase “não vamos desistir do Brasil”. Setores do partido tem se distanciado de Randolfe desde sua desistência e sua saída do PSOL era dada como certa, questão de tempo.

Randolfe flertava com a possibilidade de se juntar a Marina Silva e sua Rede, possibilidade que ficou mais distante depois que a ex-ministra decidiu apoiar Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última