Publicidade

Posts com a Tag reforma ministerial

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Governo | 22:00

Dilma pede a ministros que se comuniquem, só que não

Compartilhe: Twitter

No discurso que fez na abertura da primeira reunião ministerial, a presidente Dilma Rousseff pediu a todos os auxiliares que se comuniquem mais.

Mas, na hora H, o que houve foi silêncio. Todos eles saíram da Granja do Torto sem dar entrevistas.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015 Governo | 06:00

Dilma manda congelar indicações do segundo escalão

Compartilhe: Twitter
A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

Embora as negociações sigam a todo vapor, a presidente Dilma Rousseff mandou congelar as nomeações do segundo escalão até fevereiro. Quer amarrar bem o desenho nas principais estatais e postos estratégicos antes de começar formalmente a distribuição das cadeiras.

A conta não vale para os bancos públicos, que no xadrez governamental têm tanta importância quanto qualquer ministério. Mas dali para baixo, nada deve ser oficializado por enquanto.

A decisão tem, em parte, a ver com a disputa para a presidência da Câmara, cuja campanha rola solta até fevereiro.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 Governo | 09:00

Jaques Wagner perdeu 6 kgs em temporada no spa

Compartilhe: Twitter
Jaques Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto: Manu Dias)

Jaques Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto: Manu Dias)

O governador da Bahia e novo ministro da Defesa, Jaques Wagner, diz que perdeu 6 quilos em apenas uma semana.

A receita foi a temporada que passou recentemente com a mulher, Fátima, em um spa.

 

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015 Congresso | 16:30

‘O governo precisa de uma base fiel’, diz Iara Bernardi

Compartilhe: Twitter

Na opinião da deputada federal reeleita Iara Bernardi (PT-SP), os ministros escolhidos pela presidente Dilma Rousseff para compor seu segundo mandato fortalecerão a base de apoio na Câmara dos Deputados.

“O ano de 2014 foi muito difícil para a presidenta, no relacionamento com o Congresso. Penso que essa engenharia na montagem dos ministérios também contempla a base de apoio aqui nesta Casa”, disse a petista. “O governo precisa ter a base daqui fiel. Acredito que haverá dificuldades, mas espero que não sejam tão grandes quanto em 2014”, completou.

Assista:

Autor: Tags: , , , , ,

Governo | 13:30

Jaques Wagner vai se mudar para Brasília sem a família

Compartilhe: Twitter
Jaques Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto: Manu Dias)

Jaques Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto: Manu Dias)

O novo ministro da Defesa, Jaques Wagner, vai se mudar para Brasília sem a família, que preferiu permanecer na Bahia.

Ele pretende alugar um flat num primeiro momento, mas pode optar mais adiante pelo uso de um imóvel funcional.

Autor: Tags: , ,

Congresso | 13:20

Bancada petista ainda torce o nariz para novo ministro da articulação

Compartilhe: Twitter

Boa parte da bancada petista ainda torce o nariz para o novo ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas. Ontem, o Planalto mobilizou alguns líderes da legenda na Câmara, para pedir que acalmem os ânimos dos deputados e ajudem na transição.

A insatisfação tem a ver com a disputa interna do PT, que pautou parte das tensões na montagem do novo ministério. Uma possibilidade levantada é usar as negociações para a montagem do segundo escalão para contemplar os grupos que reclamam da perda de espaço no governo.  

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014 Governo | 07:00

Perda de espaço no governo faz PT elevar pressão sobre Dilma

Compartilhe: Twitter

A presidente Dilma Rousseff empurrou para o último minuto a conclusão de seu novo governo, em meio à perspectiva de que a nova Esplanada seja composta por uma equipe bem menos sulista e menos ligada ao núcleo central do PT. O aviso de que seria necessário cortar na carne petista em nome da governabilidade foi repassado antes mesmo da eleição. Mas a ala que tradicionalmente dá as cartas na legenda não esperava uma perda de espaço tão acentuada quanto aquela que começou a tomar forma nos últimos dias.

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

Ontem, diante das especulações sobre o desenho final do ministério, integrantes da corrente petista Construindo um Novo Brasil (CNB) – a mesma de Lula, José Dirceu, José Genoino e Antonio Palocci –  queixavam-se  sucessivamente da falta de diálogo da presidente com o partido e da perda de representação no governo.

Há no PT, já faz algum tempo, promessas de intensificar o discurso crítico em relação a Dilma, o que se soma agora à pressão para que a presidente  faça um aceno claro ao partido.

Parte da CNB se queixa, por exemplo, do tratamento dado por Dilma ao presidente nacional do PT, Rui Falcão. O líder petista foi ouvido nas conversas e teve a oportunidade de dar sugestões para a equipe. O que não necessariamente significa que o desenho do ministério tenha caminhado nesse sentido. Em geral, a corrente diz que nem o ex-presidente Lula participou de maneira intensa do processo. Não palpitou “quase nada”, diz um interlocutor.

Uma preocupação no grupo é a consolidação de Aloizio Mercadante como homem forte do governo. Mercadante integra a CNB e é parte da ala majoritária da legenda. Mas está no centro do governo pela relação que construiu com Dilma e não por ação da corrente ou de Lula.

Até poucos dias, alguns dirigentes petistas ainda tentavam amenizar o clima de insatisfação, dizendo que tudo foi acertado com anuência do PT e de Lula. A tese é que o ex-presidente continuaria tendo  a mesma influência no governo e que ele próprio quis transmitir a mensagem de que Dilma terá mais autonomia. Ontem, os mesmos petistas admitiam em reservado que a insatisfação é grande. E avisavam que Dilma vai “pagar o preço” mais adiante.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 30 de dezembro de 2014 Governo | 19:14

Ala majoritária do PT critica ministério e joga conta para Dilma e Mercadante

Compartilhe: Twitter
A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

A presidente Dilma Rousseff. (Foto: Alan Sampaio / iG Brasília)

Os (não poucos) petistas que torceram o nariz para a composição do novo ministério jogam tudo na conta da presidente Dilma Rousseff e do chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Dizem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não participou “quase nada” da composição da nova Esplanada.

O desenho final do novo ministério pode sair ainda hoje, mas as primeiras fatias do anúncio já deixam de fora do núcleo central do governo nomes mais alinhados a Lula e aos setores que dão as cartas tradicionalmente na legenda.

Nos bastidores, a gritaria é maior na corrente Construindo um Novo Brasil, ala majoritária do partido, integrada não só pelo próprio Lula, mas também por nomes como José Dirceu e Antonio Palocci.

Parte das queixas se aplica diretamente a Mercadante, que, embora pertença ao mesmo grupo, é hoje um dos nomes mais próximos de Dilma no governo e conduziu de perto as negociações da Esplanada.

Autor: Tags: , , , ,

Governo | 07:00

Governo busca diálogo mais plural com movimento negro

Compartilhe: Twitter

A decisão da presidente Dilma Rousseff de trocar o comando da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, com a indicação de Nilma Lino Gomes, foi motivada, em parte, pela avaliação de que há uma falha estratégica na política atual voltada ao movimento negro.

O governo entende que a ministra Luiza Bairros ficou muito isolada, por ter uma atuação excessivamente dirigida ao movimento negro tradicional. Com isso, acabou arranhando a relação com outras vertentes do movimento.

Tudo o que o governo não quer, dado o atual empenho em amenizar o desgaste na relação com os movimentos sociais.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014 Governo | 20:18

Molon pode ir para a Secom e Amorim pode reassumir Itamaraty

Compartilhe: Twitter

Diante da expectativa pela confirmação dos demais nomes que vão integrar o novo ministério da presidente Dilma Rousseff, crescem as especulações sobre pastas como a Secretaria de Comunicação Social, cuja incorporação ao Ministério das Comunicações chegou a ser cogitada. Neste momento, a versão tida como mais provável é a manutenção da atual estrutura da secretaria, que controla verbas de publicidade do governo. O mais cotado para o posto é o deputado Alessandro Molon (PT-RJ).

O deputado Alessandro Molon, cotado para a Secom (Foto: Divulgação)

O deputado Alessandro Molon, cotado para a Secom (Foto: Divulgação)

Outra informação que circula é a possibilidade de o ministro da Defesa, Celso Amorim, retornar ao Itamaraty. Amorim, que tem boa relação com a presidente Dilma Rousseff e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vai entregar seu cargo atual ao governador da Bahia, Jaques Wagner.

Espera-se também que Dilma confirme a permanência de vários ministros, entre os quais Aloizio Mercadante (Casa Civil), Ideli Salvatti (Direitos Humanos), Eleonora Menicucci (Mulheres), José Eduardo Cardozo (Justiça), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Arthur Chioro (Saúde), Manoel Dias (Trabalho), José Elito (GSI), Guilherme Afif (Micro e Pequena Empresa), além de indicar Juca Ferreira (Cultura).

Mas o desenho final ainda pode mudar, já que Dilma concluirá todos os ajustes na nova Esplanada até o dia 31.

 

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. 20
  9. Última