Publicidade

Posts com a Tag remédios

quinta-feira, 29 de agosto de 2013 Congresso | 08:00

Petista diz que desoneração de remédios faria preços recuarem 34%

Compartilhe: Twitter

Francisco Chagas (PT-SP) protocolou na noite de quarta-feira uma PEC propondo a desoneração de toda a cadeia produtiva de remédios.

Segundo o petista, a PEC 301 retirará os 34,5% de impostos que incidem sobre medicamentos. Ele diz que o repasse poderá ser integralmente repassado para o consumidor uma vez que o projeto pretende abranger a cadeia produtiva como um todo.

Chagas diz que um estudo do Ministério da Fazenda estimou que a desoneração resultaria numa perda anual de R$ 3 bilhões para os cofres do governo.

Ele acredita que o impacto possa se minimizado. “O governo é o maior comprador de remédios, gasta R$ 8 bilhões com remédios. Então o próprio governo seria beneficiado pela queda no preço”, defendeu ele.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 Governo | 14:58

Secretaria de Saúde de SP culpa Ministério por atraso na distribuição de remédios do SUS

Compartilhe: Twitter

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo alega que o atraso na distribuição do medicamento Betaferon (betainterferona 1b, da Bayer Schering Pharma), noticiado ontem pelo Poder Online, se deve ao Ministério da Saúde.

Por nota, a Secretaria alega que o Ministério “encaminhou a cota referente ao primeiro trimestre de forma fracionada – 30% em janeiro e 70% na semana passada”. Isso, de acordo com Secretaria, “atrapalhou a logística de distribuição em todo Estado”.

A Secretaria promete normalizar a distribuição ao longo dessa semana.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 Governo | 13:13

Secretaria de Saúde de SP volta a atrasar distribuição de remédios

Compartilhe: Twitter

A administradora pública Elisa Schuler, de 29 anos, que recebe mensalmente do SUS o medicamento Betaferon (betainterferona 1b, da Bayer Schering Pharma), usando para controlar os sintomas da esclerose múltipla, voltou a ter dificuldade de encontrar o remédio.

Elisa, que retira o medicamento no SUS há dois anos, quando foi diagnosticada com a doença, nunca tinha tido problemas até outubro de 2010, quando relatou ao Poder Online o atraso de 13 de dias na entrega do Betaferon.

Na época, a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo alegou problemas de logística para o atraso. Nos meses de novembro e dezembro, Elisa não teve problemas para retirar o remédio. Mas, em janeiro, o SUS voltou a informá-la que o Betaferon está em falta.

Segundo Elisa, que desde o dia 21 de janeiro está tentando retirar o remédio, a informação dada pelo SUS é que não há previsão para normalização da entrega. Funcionários da unidade do SUS disseram que o atraso era da Bayer, que fabrica o remédio.

Mas o departamento comercial do laboratório negou o atraso e, de acordo com Elisa, afirmou que o problema é da logística no processo de distribuição entre os governos federais e estaduais.

Para não correr o risco de ter o tratamento interrompido novamente, Elisa comprou uma caixa de Betaferon – suficiente para um mês de tratamento. O medicamento já foi entregue pelo laboratório na última sexta-feira.

– Paguei R$ 4.312,11 no remédio. Foi o preço que eu felizmente pude pagar neste momento para manter o meu tratamento. Mas é um valor que a maioria das pessoas não dispõe.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011 Governo | 12:09

Um ministério definitivamente de saias

Compartilhe: Twitter

Reina absoluta a opção por saias e vestidos entre as ministras do governo Dilma Roussef hoje, no Palácio do Planalto, na solenidade de anúncio de remédios grátis para diabéticos e hipertensos.

Das cinco ministras presentes, só a da Igualdade Racial estava de calça. Ana de Hollanda, Miriam Belchior, Helena Chagas e Iriny Lopes se renderam ao modelito.

Autor: Tags: , , ,

Governo | 12:03

Base governista ampla, plateia eclética

Compartilhe: Twitter

De Anthony Garotinho a Protógenes Queiroz.

Está bem eclética a plateia que foi ao Palácio do Planalto acompanhar a solenidade de anúncio de remédios grátis para diabéticos e hipertensos de todo o País.

Ou os políticos estão muito hipocondríacos, ou é a base do governo mesmo que está bastante ampla.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 22 de outubro de 2010 Governo | 17:29

Mais quatro dias de atraso na distribuição de remédios em SP

Compartilhe: Twitter

Apesar de a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo prometer normalizar hoje a distribuição do Betaferon (betainterferona 1b, da Bayer Schering Pharma) no estado, o remédio usado para controlar os sintomas da esclerose múltipla só foi recebido ontem pelo almoxarifado do órgão.

As ampolas estão na Fundação para o Remédio Popular (FURP), responsável pela distribuição para as unidades do SUS de São Paulo.

Os pacientes que têm a doença degenerativa e que não conseguem encontrar o medicamento há uma semana terão que esperar até a próxima terça-feira, 26 – nova data prometida pela secretaria para normalizar a distribuição.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 Governo | 16:11

Secretaria de Saúde paulista atrasa distribuição de remédios do SUS

Compartilhe: Twitter

(Foto: AE)

Desde março, o Ministério da Saúde centralizou a compra de 30 medicamentos distribuídos pelo SUS que antes eram adquiridos pelos governos estaduais. A justificativa foi ampliar a capacidade de negociação com os laboratórios para reduzir preços. No entanto, a medida tem resultado em atraso na distribuição dos remédios para a população.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo alega problemas de logística para atrasar a distribuição de, pelo menos, quatro remédios.

Um dos casos é o do Betaferon (betainterferona 1b, da Bayer Schering Pharma) usando para controlar os sintomas da esclerose múltipla. Na cidade de São Paulo, os pacientes que têm a doença degenerativa não conseguem encontrar o medicamento há uma semana.

O Ministério diz que não houve atraso na entrega. A secretaria confirma o recebimento de 31.215 ampolas de Betaferon, mas o remédio não chegou nas unidades do SUS com a rapidez necessária para atender à demanda. O consumo médio mensal do remédio na rede pública de saúde é de 71.718 unidades.

A Secretaria promete normalizar a distribuição até sexta-feira.

– Como o custo do medicamento é alto, ele não é comercializado. A caixa com 15 doses dura um mês. E eu só tenho o remédio até quinta – diz a administradora pública Elisa Schuler, de 29 anos, que recebe o medicamento do SUS há dois anos, quando foi diagnosticada com a doença.

Os outros medicamentos com problemas na distribuição são Rebiff, Avonex e Copaxone – este último já está com a distribuição normal.

Autor: Tags: , , , , , ,