Publicidade

Posts com a Tag Ricardo Berzoini

quinta-feira, 19 de novembro de 2015 Governo | 15:47

Berzoini chama petistas para reforçar articulação

Compartilhe: Twitter
Deputada Federal Iriny Lopes (PT-ES). Foto: Agência Câmara

Iriny Lopes (PT-ES). Foto: Agência Câmara

Após ter conseguido recuperar minimamente a base no Congresso, o que garantiu ao governo vitórias apertadas e ainda consideradas frágeis, o ministro de Governo, Ricardo Berzoini, deverá consolidar nos próximos dias um grupo de articuladores para intensificar as conversas com deputados e senadores.

O tamanho do grupo ainda não está decidido. A ideia inicial era de que pelo menos quatro a cinco pessoas, consideradas hábeis na costura política, integrassem a articulação.

Dois petista já foram convidados a tarefa e devem ser nomeados nos próximos dias: a ex-ministra de Mulheres e ex-deputada federal, Iriny Lopes (ES), e o ex-deputado federal, Geraldo Magela (DF).

 

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 5 de novembro de 2015 Brasil, Governo, Partidos | 11:05

Ordem no Planalto é monitorar, sem alarde, protestos de caminhoneiros

Compartilhe: Twitter

A preocupação com uma possível aproximação entre caminhoneiros em greve e os movimentos que pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff exite, no entanto, as primeiras conversas de representantes de sindicatos que representam as categorias apontaram uma resistência dos líderes em aceitar uma “contaminação” do movimento pela pauta pró-impeachment.

Nesta semana, este foi um sinal considerado positivo pelo governo.

Diante disso, a ordem no Planalto é observar atentamente os protestos, convocados para a próxima segunda-feira (9), pelo Comando Nacional do Transporte, que se declara independente de sindicatos e flertam com o Movimento Brasil Livre, o Vem Pra Rua e o Revoltados Online.

Os caminhoneiros querem a redução no preço do diesel, subsídio de crédito, além da anulação de multas referentes à paralisação feita em fevereiro deste ano.

Dilma escalou seus principais auxiliares para tratar do assunto, entre eles, os ministro de Governo, Ricardo Berzoini,^e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto.

 

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 3 de novembro de 2015 Governo | 12:55

Dilma escala Berzoini para tratar de crise dos caminhoneiros

Compartilhe: Twitter
O ministro do Governo, Ricardo Berzoini.

O ministro do Governo, Ricardo Berzoini.

A reunião com os líderes da Câmara, nesta segunda-feira (3), foi rápida e tratou somente da pauta de votações. O ministro de Governo, Ricardo Berzoini, abriu a reunião e, depois, deixou a condução da conversa nas mãos do líder do governo na Câmara, José Guimarães.

Berzoini precisou deixar o encontro para uma conversa mais indigesta e reservada com a presidente Dilma Rousseff e outros ministros do Planalto. A presidente está preocupada com os protestos realizados pelos caminhoneiros, que ameaçam parar o país.

Também é grande a preocupação de Dilma com a aproximação dos caminhoneiros com os movimentos que pedem o seu impeachment, como o Revoltados Online e o Movimento Brasil Livre (MBL).

Estes movimentos se aproximaram do protesto dos caminhoneiros, que preparam uma nova paralisação das rodovias, como a que ocorreu no início deste ano.  Desta vez, o bloqueio planejado para este mês de novembro pediria a renúncia de Dilma.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 8 de outubro de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 08:01

Líder do PTB quer substituição de Armando Monteiro no MDIC

Compartilhe: Twitter
Senador Armando Monteiro (PTB-PE), autor do projeto. (Foto: Agência Brasil)

Ministro Armando Monteiro (PTB-PE) (Foto: Agência Brasil)

Depois de ouvir do líder da bancada do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro (PTB-PE), não representa o partido, o ministro de Governo, Ricardo Berzoini, responsável pela articulação política, chamou ao Planalto.

A expectativa da bancada é de que o ministro seja substituído. A conversa está marcada para as 10h30 desta quinta-feira (8).

Na reunião, Arantes alegou o desejo do PTB de abandonar a posicão de independência e retornar à base do governo, no entanto, exigiu sinais mais fortes do governo em dialogar mais com a bancada.

Na quarta-feita, o partido colocou apenas 11, dos seus 25 deputados, em plenário para a sessão do Congresso convocada para deliberar sobre vetos da presidente de propostas que aumentam o gasto do governo. No entanto, o líder se comprometeu com o quorum para a próxima semana, na sessão que poderá ser convocada para a noite de terça.

Ao final da reunião, Berzoini ainda levou as reclamacões das bancadas à presidente Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada.

Durante as negociacões para a reforma, a saída de Monteiro da pasta chegou a ser cotada, principalmente após as críticas públicas feitas pelo ministro ao programa Reintegra, além das reclamações, feitas pelo pernambucano, do corte de recursos para o chamado Sistema S.

Embora A votação dos vetos não seja urgente, o governo tem  pressa emunir a base e demintrar que tem articulacão com aliados no Congresso. O que já era tratado como prioridade, se tornou mais urgente após a decisão unânime do Tribunal e Contas da União (TCU) de recomendar ao Congresso a rejeição das contas do governo de 2014, no julgamento ocorrido na quarta-feira.

A urgência de unir a base tem como objetivo evitar no Congresso a rejeição de suas contas e ainda não permitir o avanço dos pedidos de impeachment.

 

Autor: Tags: , , ,

Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 06:00

Em reunião com governo, Rosso aprende significado de “DR”

Compartilhe: Twitter
Ex-governador do DF, Rogério Rosso (PSD-DF)

Deputado Rogério Rosso (PSD-DF)

O líder do PSD na Câmara, deputado Rogério Rosso (DF) passou boa parte da reunião com o ministro Ricardo Berzoini (Governo) sem entender o que significava a sigla “DR”, uma das mais citadas  durante o encontro, ocorrido na noite de quarta-feira (7),  que reuniu líderes da base aliada, no Palácio do Planalto.

Era uma nova sigla? Um novo departamento do governo? Um novo imposto?

Intrigado, Rosso não resistiu e resolveu pediu ajuda ao colega que sentava ao lado, o deputado Domingos Neto (PDT-CE). Perguntou o que significa a sigla tão citada tanto pelo governo, como pelos líderes. Domingos Neto retrucou.

“Você não sabe? É discussão de relação”, respondeu Domingos Neto, deixando o colega mais aliviado.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 7 de outubro de 2015 Brasil, Congresso, Governo, Partidos, Política | 19:52

Movimentação de Cunha para “cortar asas” de Picciani preocupa governo

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Foto: Agência Câmara

O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Foto: Agência Câmara

A disputa de poder entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o líder do PMDB na Casa, Leonardo Picciani (RJ), tem preocupado o governo que teme que a briga impeça o governo de colher os frutos de ter dado ao principal aliado sete pastas importantes, na reforma feita pela presidente no início da semana.

Depois de perder a liderança do bloco da maioria, em uma manobra arquitetada por Cunha, Picciani, passou a se movimentar para não perder a liderança da bancada de seu partido. O líder passou a quarta-feira (7) coletando assinaturas para permanecer na liderança da bancada no próximo ano.

O objetivo de Picciani é se cacifar para a Presidência da Câmara. Recentemente, ele passou a ser um interlocutor privilegiado do Planalto nas negociações de cargos, em contraponto ao grupo peemedebista que defende o rompimento com Dilma e que forma a tropa de choque de Cunha.

Ao negociar com o Planalto, Picciani também obteve apoio do governo para seu projeto de chegar a presidência da Câmara.

Cunha, por sua vez,  joga contra a ascensão de Picciani como liderança no partido, ao mesmo tempo em que vê seu próprio poder ser colocado em xeque , devido a série de denúncias, entre as quais, as mais recentes suspeitas de contas na Suíça em seu nome e em nome de parentes.

O primeiro sinal de que a coalizão não funcionou foi a ausência de deputados da base do governo na sessão do Congresso, chamada pelo presidente da Casa, Renan Calheiros, para votar os vetos da presidente Dilma Rousseff.

Em movimento orquestrado, líderes de quatro partidos da base aliada na Câmara dos Deputados não registram presença. A sessão foi encerrada por falta de quorum para deliberação.

Preocupado com a falta de resultados da reforma, o chefe da Secretaria de Governo, ministro Ricardo Berzoini, responsável pela articulação política, chamou interlocutores aliados insatisfeitos com a supervalorização do PMDB na Esplanada para uma conversa no Planalto.

Participam da reunião com o ministro os deputados Maurício Quintella (PR­AL), Eduardo da Fonte (PP­PE), Celso Russomanno (PRB­SP), Rogério Rosso (PSD­DF), Jovair Arantes (PRB-), Eduardo da Fonte (PP-PE) e Maurício, Domingos Neto (PDT-CE), Aluísio Mendes (PSDC-MA), José Guimarães (PT-CE), Andre Moura (PSC-SE) e Marcelo Aro (PHS-MG).

Dos 34 deputados do PR, partido que tem o Ministério dos Transportes, apenas oito compareceram a sessão. Do PSD, partido que controla o Ministério das Cidades , compareceram oito de 33 parlamentares. Já o PP, que tem o ministro da Integração Nacional, Gilberto Ochi, colocou em plenário 16 dos 39 deputados de sua bancada. O PRB, que manteve o ministro George Hilton no ministério dos Esportes,  colocou 10 de seus 20 deputados em Plenário. Do PMDB, compareceram 37, dos 66 deputados.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 Congresso, Governo, Partidos, Política | 15:02

Governo conta com Cunha para barrar impeachment, mas teme articulação da oposição

Compartilhe: Twitter
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. (Foto: Divulgação)

As devoluções, arquivamentos e postergações de decisão sobre os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), são visto pelos auxiliares mais próximos da presidente como sinais de que ele não dará prosseguimento ao processo de impeachment, de forma monocrática, competência garantida ao presidente da Câmara, pela Constituição Federal.

No entanto, o governo teme que, diante de uma provável negação de Cunha, deputados de oposição, e até mesmo de partidos da base rebeldes ao governo, consigam aprovar recurso, dando início, em Plenário, à tramitação.

O assunto foi objeto de conversa da presidente Dilma com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quinta-feira, no Palácio da Alvorada. Os dois se encontraram com o objetivo de traçar estratégia para enfrentar a deterioração do cenário político das últimas semanas, inclusive a eminência de um processo de impeachment a ser deflagrado na Câmara.

Na semana passada, a oposição levantou uma questão de ordem tratando deste assunto, que deve ser respondida por Cunha na próxima segunda-feira (21). Ao receber o principal pedido até agora, assinado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior, Cunha disse que primeiro responderia a questão de ordem, depois decidiria sobre ele sem, no entanto, falar de prazos. Enquanto isso, a ordem no governo é negociação intensa no Congresso, principalmente na Câmara.

Dilma escalou seus ministros mais habilidosos para a função, entre eles o de Comunicação, Ricardo Berzoine, que também finaliza o novo desenho da Esplanada a ser anunciado na próxima quarta-feira (23); da Defesa, Jaques Wagner; além do chefe do Gabinete Pessoal da presidente, Giles Azevedo, que tem conseguido resultados importantes na negociação com a ala do PMDB mais rebelde da Câmara.

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 19 de maio de 2015 Política | 14:26

Articulação do governo faz ministro cancelar viagens em tempos de votação do pacote fiscal

Compartilhe: Twitter

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, tem enfrentado a dupla jornada de cuidar de sua pasta e ajudar na articulação política do governo. Em tempos de votação do pacote fiscal no Congresso e de definições sobre os cargos de segundo e terceiro escalões do governo, passar uma semana fora de Brasília poderia causar transtornos ao Palácio.
O petista acabou cancelando várias viagens. Uma delas foi sua participação, em Genebra, na Suíça, das celebrações dos 150 anos da União Internacional das Telecomunicações (UIT), na semana passada.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 30 de abril de 2015 Política | 15:49

Em almoço com ministros, bancada petista cobra Dilma na TV no Dia do Trabalhador

Compartilhe: Twitter

Em almoço com toda bancada petista nesta semana, o ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República, Edinho Silva, foi cobrado sobre a posição da presidente Dilma Rousseff de não fazer, neste ano, o tradicional pronunciamento em rede de TV e Rádio no Dia do Trabalho.

Os parlamentares petistas são contrários à estratégia adotada pelo Planalto de não convocar rede de rádio e TV. No almoço, o líder da bancada na Câmara, Sibá Machado (AC) opinou que ela deveria falar, independentemente das perspectivas de panelaços.

Edinho, ao lado dos ministros petistas, Ricardo Berzoini (Comunicação) e Carlos Gabas (Previdência), que também participaram do encontro, se esforçou para convencer os deputados sobre a decisão.

O ministro da Secom alegou que o governo precisa se modernizar, inclusive na forma de se comunicar. Entre as mudanças previstas está o uso mais frequente da internet e das redes sociais.

A presidente grava sua mensagem em vídeo na tarde de hoje e a previsão de divulgação nas redes é para o início da manhã desta desta sexta-feira.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 13 de abril de 2015 Governo | 15:17

Berzoini vai ajudar Michel Temer na articulação do governo

Compartilhe: Twitter
O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini.

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini.

O ministro Ricardo Berzoini foi encarregado pela presidente Dilma Rousseff de auxiliar o vice-presidente Michel Temer na nova função de articulador político do governo.

Hoje nas Comunicações, Berzoini comandou a Secretaria de Relações Institucionais logo antes de a pasta ficar com Pepe Vargas, removido do posto em função do rearranjo feito pelo governo na articulação.

Num primeiro momento, uma das funções de Berzoini será transferir para o vice-presidente assuntos que antes estavam sob cuidados da SRI e da Casa Civil.

Dilma, aliás, deu um recado bem claro aos ministros. Avisou que ninguém está autorizado a tomar nenhuma decisão relacionada à articulação sem avisar ao vice.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última