Publicidade

Posts com a Tag salário mínimo

segunda-feira, 3 de junho de 2013 Brasil | 12:12

Relatório da OIT destaca valorização do salário-mínimo no Brasil

Compartilhe: Twitter

O relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgado nesta segunda-feira, deu destaque às políticas de valorização do salário mínimo e aos programas sociais do governo federal. De acordo com o relatório, cresce o interesse no papel de iniciativas como essas na melhoria da qualidade de vida de camadas mais pobres da população.

Leia também: Mercado de trabalho nos países em desenvolvimento mostra evolução, diz OIT

“Nos anos recentes, vem crescendo o interesse no papel do salário mínimo na promoção da justiça social, por meio da melhoria das condições de vida de trabalhadores de baixa remuneração, assim como no balanceamento da economia. No Brasil, um salário mínimo fortalecido e o ´Bolsa Família´ são duas das medidas mais reconhecidas para explicar a redução da pobreza que tem alimentado a economia do País”, afirma o relatório. Os benefícios da política brasileira para o salário-mínimo, segundo o relatório, beneficiou especialmente setores da classe média.

No relatório, o Brasil foi o primeiro entre vários exemplos de aplicação de  políticas de valorização do salário mínimo listados pela OIT. Nessa lista, entraram ainda países como China e Reino Unido, além dos Estados Unidos.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 31 de janeiro de 2012 Governo | 12:02

As promessas do primeiro discurso

Compartilhe: Twitter

(Foto: Agência Senado)

Na quinta-feira, o Congresso volta a funcionar.

Como de praxe, os trabalhos de cada nova sessão legislativa são abertos com a leitura de uma mensagem do(a) presidente da República.

No seu primeiro ano de governo, em 2011, a presidenta Dilma Rousseff apresentou pessoalmente o texto. Nos anos seguintes, o discurso costuma ser levado pelo(a) chefe da Casa Civil — no caso agora, a ministra Gleisi Hoffmann.

Vale lembrar as principais promessas da presidenta naquele primeiro ano:

— Um pacto para evitar novas tragédias como o deslizamento de terras em Angra dos Reis (RJ) por causa das chuvas, que acabara de soterrar dezenas de pessoas;
— Lutar pela erradicação da miséria;
— E uma política de longo prazo para o reajuste do salário mínimo.

A política de longo prazo para o salário mínimo de fato está em fase de implantação. Resultou num reajuste considerável em 1º de janeiro: 14,13%.

Os projetos de erradicação da pobreza também já se iniciaram.

Mas os programas contra os deslizamentos de terra parecem ter-se encharcado nos ralos da política.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 25 de abril de 2011 Congresso | 20:50

De Eduardo Cunha, depois do almoço em Paris: “Não tenho de gastar como se ganhasse salário mínimo”

Compartilhe: Twitter

Deu o que falar o almoço de Sábado de Aleluia do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em  Paris num dos restaurantes mais caros do mundo, o La Tour d’Argent, noticiado pela coluna.

O site Kibeloco perguntou: “Quem vai pagar o pato?”

O próprio deputado, foi ao twitter responder às gozações dos internautas:

“Eu almoço e janto por minha conta e ganho para pagar almoço e jantar”;

“Tem alguns que não têm o que fazer e ficam vigiando a gente no feriado, como se não tivéssemos direito a descanso”;

“Eu tenho de gastar de acordo com o que eu ganho, e não como se ganhasse salário mínimo. E tenho de lutar para que o salário mínimo aumente”.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 4 de abril de 2011 Governo | 09:04

Dilma passou batida pelo teste do salário mínimo

Compartilhe: Twitter

Palavra de quem entende de política: o aumento do salário mínimo teve zero de influência na imagem de Dilma Rousseff. Está aí o Ibope que não só não o deixa mentir, mas como confirma que a presidenta passou como um trator por esse seu primeiro e mais difícil teste de popularidade no início de mandato.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 11 de março de 2011 Congresso | 09:04

Líder do PDT agora é moderado com reajuste do imposto de renda

Compartilhe: Twitter

 O líder do PDT na Câmara, Giovanni Queiroz (PA), afirmou que um reajuste da tabela de imposto de renda em 4,5% — proposta defendida até agora pelo governo —  é “razoável” para o trabalhador e não prejudicaria a economia.

— É um aumento razoável, até porque uma correção acima dos 4,5% poderia sinalizar ao mercado uma inflação maior. Vou levar minha opinião à reunião da bancada na próxima terça-feira — disse ao Poder Online.

Vale lembrar que Giovanni foi o único líder da base governista excluído da última reunião com a presidenta Dilma Rousseff, tudo porque defendeu uma proposta de salário mínimo diferente da apresentada pelo governo.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 4 de março de 2011 Governo | 10:01

Dilma reclamou com Lupi mais de Paulinho da Força Sindical do que do PDT

Compartilhe: Twitter

Na conversa da presidenta Dilma Rousseff com o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, arderam as orelhas do ex-líder do PDT na Câmara Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força Sindical.

Dilma acha que foi a atuação de Paulinho que constrangeu a bancada, obrigando o líder Giovanni Queiroz (PA) a liberar os deputados a votarem como quiserem na questão do salário mínimo, o que levou parte deles a se posicionarem contra o governo.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011 Estados | 17:56

Em Minas PT e PSDB vivem confronto oposto ao que tiveram na votação do salário mínimo

Compartilhe: Twitter

No Congresso Nacional os tucanos — incluindo o ex-governador Aécio Neves — protestaram contra o fato de se aprovar uma lei permitindo que o Executivo determine anualmente o valor do salário mínimo.

Mas, em Minas Gerais, amanhã, a secretária estadual de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, terá que comparecer  à Asssembléia — a pedido da oposição liderada pelo PT — para defender as chamadas leis delegadas, autorizações dadas pelo Legislativo para o governador Antonio Anastasia criar e extinguir órgãos e cargos públicos.

Em tempo:  PT e PCdoB mineiros já ajuizaram no Tribunal de Justiça uma ação de inconstitucionalidade contra as leis editadas por Anastasia.  Da mesma maneira que PSDB, DEM e PPS vão entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a delegação dada pelo Congresso ao Executivo federal para editar anualmente o valor no mínimo.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 Congresso | 16:15

PSOL entrará com ação para impedir reajuste do mínimo por decreto

Compartilhe: Twitter

A bancada do PSOL no Senado entrará, na próxima segunda-feira, com uma ação judicial no Supremo Tribunal Federal para questionar a constitucionalidade de artigo que prevê reajuste do salário mínimo por decreto presidencial.

Em discurso na votação do mínimo na última quarta-feira, o senador tucano Aécio Neves (MG) também afirmou que irá recorrer ao Supremo para garantir que os reajustes passem pelo Congresso.

Autor: Tags: , , , ,

Partidos | 10:30

Governo contabiliza “quase unanimidade” dos votos do PMDB no Senado

Compartilhe: Twitter

Durante o governo Lula, o PMDB teve cerca de cinco senadores dissidentes do Palácio do Planalto. Três fixos: Pedro Simon (RS), Jarbas Vasconcelos (PE) e Geraldo Mesquita (AC). E outros três revezando-se nos votos contrários: Gerson Camata (ES), Valter Pereira (MS) e Garibaldi Alves Filho (RN).

Garibaldi virou governista nas eleições, mas deixou o Senado para assuimir como ministro da Previdência de Dilma Rousseff. Gerson Camata, Valter Pereira e Geraldo Mesquita não se reelegeram.

Sobraram Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos.

Mas, nas contas do governo, a votação do salário mínimo mostrou uma “quase unanimidade” em relação ao governo.

Havia expectativa de que três recém-eleitos se posicionassem contra o Planalto. Dois de Santa Catarina — Cassildo Maldaner (PMDB-SC) e Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) — e um do Paraná, Roberto Requião.

Maldaner, Luiz Henrique e Simon votaram a favor do projeto de salário mínimo no voto simbólico e, depois, na votação nominal da emenda de R$ 560 proposta pela oposição, eles se abstiveram.

— Os votos de abstenção, não foram contra o governo. Atrapalharam muito mais à oposição, que é quem tinha de colocar votos contrários — explica o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR).

E o próprio Simon já anunciou que pretende “ajudar à presidenta Dilma”, cujo início de governo está “gostando muito”.

Roberto Requião foi o único peemedebista que acompanhou Jarbas no voto contrário. No entanto, avisou à cúpula do partido: votou contra nessa questão, mas pretende apoiar o governo Dilma, em quem votou nas últimas eleições.

— Sou um dilmista radical — brincou Requião ao se explicar.

Resultado: a dissidência dentro do PMDB em relação ao governo Dilma pode se resumir a um senador apenas: Jarbas Vasconcelos.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

Governo | 06:02

Dilma acena com “política alternativa” ao fator previdenciário

Compartilhe: Twitter

Mais uma da conversa entre o senador Paulo Paim (PT-RS) e a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, quarta-feira.

Segundo Paim relatou na sessão de votação do salário mínimo, Dilma prometeu editar uma “política de valorização dos benefícios dos aposentados e pensionistas” e uma “política alternativa” ao fator previdenciário.

Ele não explicou qual será essa “política alternativa”.

Mas o fator previdenciário é aquela fórmula que diminui o benefício pago na aposentadoria em função da relação entre contribuição do trabalhador, sua idade e a expectativa de vida da população.

As entidades dos aposentados têm como principal meta acabar com esse mecanismo.

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última