Publicidade

Posts com a Tag Senado Federal

quinta-feira, 30 de outubro de 2014 Congresso | 07:30

PT tenta ganhar tempo em votação sobre decreto da participação social no Senado

Compartilhe: Twitter

Diante da sinalização do presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), de que o decreto presidencial que institui a Política Nacional de Participação Social também enfrentará resistência no Senado Federal, o PT já estuda a melhor estratégia para evitar uma nova derrota. A avaliação é de que dificilmente o partido conseguirá vencer no voto e, por isso, o ideal seria segurar a votação até o final desta legislatura, quando os ânimos poderão ter esfriado.

Parte dos petistas, porém, não descarta uma possível derrota. Diante disso, dizem, a única solução seria a apresentação de um projeto de lei pela presidente reeleita Dilma Rousseff, com o mesmo teor.

Leia também: ‘Qualquer dia ministros serão trazidos debaixo de vara’, diz Caiado

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 21 de outubro de 2014 Eleições | 10:00

Senado prevê gasto de R$ 416 mil com móveis com chegada de novos parlamentares

Compartilhe: Twitter

O Senado abriu licitação para a troca de vários móveis das residências da Casa. Ao todo, estão previstos gastos em torno de R$ 416 mil. Segundo o edital, a compra dos móveis novos será feita “em razão da necessidade de atendimento aos parlamentares que comporão a 55ª legislatura”. A nova legislatura começa em fevereiro do ano que vem.

Entre os móveis que serão comprados, estão cadeiras de telefone com pés desenhados ao estilo Luís XV; mesas de centro, mesas laterais, cadeiras para mesas de jantar e cadeiras para a sala, todas com pés ao estilo Luís XV.

Outros móveis que serão adquiridos aos novos senadores são poltronas com braços e banqueta (pufe) e mesas para copa. Somente cada poltrona está orçada em R$ 5 mil, conforme a licitação. O certame está marcado para o dia 22 deste mês.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 24 de setembro de 2014 Eleições | 06:00

Caixa apertado preocupa Eduardo Suplicy

Compartilhe: Twitter
Senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Foto: Divulgação

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP).  (Foto: Divulgação)

A equipe do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) anda preocupada com a dificuldade de abastecer o caixa eleitoral.

Até agora, o time petista diz só ter angariado algo em torno de R$ 1 milhão para a disputa de reeleição ao Senado.

Com as contas apertadas, Suplicy tem feito campanha praticamente sem material impresso.

 

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 7 de agosto de 2014 Eleições | 18:00

No Whatsapp, Collor lança clipe com jingle eleitoral

Compartilhe: Twitter

Nada de Youtube ou Facebook. O ex-presidente alagoano e candidato à reeleição ao Senado, Fernando Collor (PTB-AL), escolheu o aplicativo de celular Whatsapp para lançar o clipe oficial de seu jingle, nesta tarde.

Com ritmo de forró, o clipe aposta no novo colorido adotado como marca de Collor – que substituiu o vermelho e azul dos dois “ll”, adotado em 2010, e o mais conhecido verde e amarelo, cunhado em 1989.

Ao contrário da campanha a governador em 2010, desta vez Collor não faz referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à presidente Dilma Rousseff. “Vem chegando, vem pra mim. Proposta boa cola em mim. Collor senador, eu voto sim, sim, sim”, diz um trecho da canção.

Assista ao vídeo completo divulgado por celular:

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 3 de agosto de 2014 Eleições | 07:00

‘Carregar o Padilha com 89 Kg foi tranquilo’, diz Suplicy

Compartilhe: Twitter

Com 73 anos, o senador e candidato à reeleição Eduardo Suplicy (PT) surpreendeu ao carregar nas costas o companheiro petista e candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha. Mas a boa forma de dar inveja aos adversários não vem do nada. Suplicy contou ao Poder Online que cumpre uma rotina rigorosa de exercícios físicos, mesmo com a agenda dividida entre Brasília, São Paulo e dezenas de municípios já visitados durante a campanha.

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Foto: Divulgação

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Foto: Divulgação

“Faço aula de ginástica com uma personal trainer toda segunda e sexta-feira. Carregar o Padilha com 89 Kg foi tranquilo”, diz o senador. “Acho que saúde é uma coisa muito importante. Antes de me candidatar, fiz um check-up completo e perguntei ao médico se tinha condições de cumprir mais 8 anos de mandato. Ele me respondeu que eu estava tão saudável que poderia me candidatar para os próximos 24”, se orgulha o candidato, que já cumpriu três mandatos como senador.

Suplicy, no entanto, evita comparar sua condição física à dos demais candidatos e se limita a dizer que acredita em um apoio crescente à sua candidatura: “É evidente que o José Serra (PSDB) sai de um patamar com muito mais exposição do que eu, que fui candidato pela última vez em 2006. Mas sempre competi com candidatos extremamente fortes e, ainda assim, em 1990 fui eleito ao Senado com 30% dos votos válidos, em 1998 com 43% e em 2006 com 48%”, lembra o senador.

Confira os principais trechos da entrevista:

Poder Online: Senador, o senhor deve estar com dor nas costas, depois de ter carregado o Padilha
Senador Eduardo Suplicy (PT-SP): Não, de forma alguma. Não tive nenhuma dor, estou perfeitamente bem. Eu faço aula de ginástica com uma personal trainer toda segunda e sexta-feira, às 6h45. Na segunda-feira, costumo ir bem cedinho para depois embarcar para Brasília. Faço uma hora de ginástica – ando 7 minutos, corro mais 30 e faço diversos exercícios.

E durante a semana, em Brasília, o senhor também consegue se exercitar?
Sim, eu acordo logo cedo e faço caminhadas, corridas. E, no fim de semana, quando estou em São Paulo, vou pelo menos uma vez a algum parque. Então, carregar o Padilha com 89 Kg foi tranquilo.

O senhor acredita que está em melhor forma do que seus adversários José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD)?
O que eu posso dizer é que eu procuro sempre estar em boa forma. E acho que saúde é uma coisa muito importante. Antes de me candidatar, fiz um check-up completo e perguntei ao médico se tinha condições de cumprir mais 8 anos de mandato. Ele me respondeu que eu estava tão saudável que poderia me candidatar para os próximos 24. Eu levei essa informação para a convenção do PT, onde fui aplaudido e tive o apoio, por unanimidade, à minha reeleição.

Falando então politicamente, como o senhor pretende enfrentar essa vantagem que o Serra tem apresentado nas intenções de voto?
É evidente que o Serra sai de um patamar com muito mais exposição do que eu, que fui candidato pela última vez em 2006. Mas sempre competi com candidatos extremamente fortes. Em 1990, disputei a eleição com o Ferreira Neto (PTB), que tinha o apoio do Fernando Collor, o Afif Domingos (PMDB) e o Franco Montoro (PSDB) e, ainda assim, fui eleito ao Senado com 30% dos votos válidos. Em 1998, havia o campeão mundial de basquete Oscar Schmidt (PPB), muito querido pela população, e obtive 43%. Em 2006, já foram 8,8 milhões de votos, um total de 48%.

O senhor acredita que essa crise da água pode enfraquecer o PSDB na disputa contra o PT?
Eu sei que deveriam ter sido feitos alguns investimentos que nem sempre foram realizados. Mas vivemos um problema sério de escassez de água e todos nós somos responsáveis por evitar esse desperdício. Eu tenho ligado para a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para me informar sobre os problemas no abastecimento e o que eu acho é que é preciso haver um entrosamento muito bom dos três níveis de governo para sair dessa crise. Também brinco dizendo que seria bom pedir para o Papa Francisco pedir para São Pedro fazer as pazes com São Paulo (risos).

E com relação ao prefeito Fernando Haddad, o senhor acredita que os altos índices de rejeição podem atrapalhar o PT? Aliás, o senhor considera que essas críticas têm sido injustas?
Sim, completamente injustas. Tenho a convicção de que o Haddad será um dos melhores prefeitos que São Paulo já teve e de que à medida que a população conhecer melhor suas características pessoais isso irá mudar. Eu estive na cerimônia que sancionou o Plano Diretor de São Paulo e fiquei extremamente estimulado com sua capacidade de discernimento, articulação e diálogo. Desde os movimentos sociais aos empresários presentes, todos elogiaram sua postura. O Haddad conseguiu articular mais de 25 mil pessoas, distribuídas em 112 reuniões de consulta, para pensarem o futuro de São Paulo.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 17 de julho de 2014 Justiça | 18:39

Justiça manda retirar do Facebook boatos contra senadora petista

Compartilhe: Twitter
A presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Ana Rita Esgario (PT-ES).

A presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Ana Rita Esgario (PT-ES).

A Justiça do Espírito Santo determinou, na última quarta-feira, a retirada de publicações contra a senadora Ana Rita (PT-ES) no Facebook, em 48 horas. As mensagens afirmavam que a senadora seria autora de um projeto para a criação de uma Bolsa Prostituta, no valor de R$ 2 mil mensais. O projeto nunca existiu.

“A referência ao partido nos dá a clara impressão de que há um interesse político por trás, especialmente neste momento eleitoral”, afirmou o advogado da senadora, Alexandre Zamprogno. “Mas a retratação não basta, pois não terá a mesma repercussão que a difamação.”

De acordo com a decisão do juiz substituto Diego Ramirez Grigio Silva, da 5ª Vara Cível de Vila Velha, o Facebook também deverá informar à Justiça os responsáveis pelas páginas em questão. A senadora, que preside a Comissão de Direitos Humanos do Senado, entrará com uma ação por danos morais contra os donos dos perfis e já afirmou que pretende doar o valor da indenização a uma instituição de caridade.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 14 de julho de 2014 Congresso | 12:11

Proibida em 2011, venda de remédios para emagrecer volta à pauta nesta semana

Compartilhe: Twitter

No centro de uma polêmica envolvendo entidades médicas e a Anvisa, a venda de inibidores de apetite volta a ser discutida nesta semana no Congresso, podendo reacender um debate que já se arrasta desde 2011.

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado deve analisar o projeto que suspende uma resolução publicada pela Anvisa naquele ano, proibindo o uso e a venda de medicamentos como anfepramona, fenproporex e manzidol no país. Na época, a agência também tornou mais rigorosa a venda de outro medicamento para emagrecer, a sibutramina. Se aprovado, o projeto segue para o plenário e passa a vigorar sem necessidade de sanção presidencial.

As entidades médicas alegam que os medicamentos são seguros e eficazes no tratamento da obesidade. A agência, entretanto, entende que a eficácia desses produtos é questionável e que seu uso acabou se tornando abusivo no país. Por isso, alega a agência, os riscos da liberação teriam se tornado maiores que os benefícios.

O parecer da relatora Lúcia Vânia (PSDB-GO) é favorável à aprovação do projeto, liberando portanto a venda desses medicamentos no Brasil, após anos de proibição.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 27 de maio de 2014 Congresso | 15:30

Depois de Xuxa, governo aposta em Camila Pitanga para PEC do Trabalho Escravo

Compartilhe: Twitter
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em reunião com a ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, a atriz Camila Pitanga e o líder do PMDB, Eduardo Braga.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em reunião com a ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, a atriz Camila Pitanga e o líder do PMDB, Eduardo Braga.

Com o objetivo de garantir a aprovação da PEC do Trabalho Escravo, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República se articulou com movimentos sociais e celebridades para pressionar os senadores a votarem a proposta ainda nesta terça-feira.

Leia mais: Ao lado de Xuxa, Dilma sanciona lei que torna hediondo abuso sexual de crianças

Na companhia da ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, as atrizes Camila Pitanga e Maria Zilda passarão a tarde toda em reuniões com cada líder partidário do Senado.

Mais cedo, elas se reuniram com o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), que se posicionou favorável à votação ainda nesta tarde, mas afirmou que precisava do apoio de mais líderes para priorizar a PEC.

Na semana passada, também por intermédio da SDH, a apresentadora Xuxa foi à Câmara dos Deputados e conseguiu agilizar a aprovação da Lei Menino Bernardo, em uma sessão extra da Comissão Especial.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 13 de maio de 2014 Congresso | 18:00

Candidatas a Miss Brasil passeiam pelo Senado

Compartilhe: Twitter
Candidatas a Miss Brasil são recebidas no Plenário do Senado. (Foto: Mel Bleil Gallo / Poder Online)

Candidatas a Miss Brasil são recebidas no Plenário do Senado.

As candidatas a Miss Brasil visitaram, na tarde desta terça-feira, o Senado Federal. O passeio teve direito a foto oficial com o presidente da sessão no Plenário, Paulo Paim (PT-RS) e várias piadinhas dos senadores.

“Por mim, são todas Miss Brasil”, galanteou o senador Paim, arrancando sorridos das convidadas.

“Acredito que esta foi a melhor performance de Vossa Excelência no Senado”, brincou Eduardo Suplicy (PT-SP). “Mas acho que o senhor deveria organizar para que todas elas aparecessem no primeiro plano da foto”, acrescentou.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 17 de abril de 2014 Congresso | 20:00

Em clima de feriado, sites da Câmara e do Senado também não funcionam

Compartilhe: Twitter
Página online do Senado Federal (Imagem: Reprodução)

Página online do Senado Federal (Imagem: Reprodução)

Além do ponto facultativo ter encerrado a semana legislativa do Congresso Nacional mais cedo, o portais online da Câmara dos Deputados e do Senado Federal também não funcionaram nesta quinta-feira.

Quem tentou consultar algum projeto na página da Câmara, deparou-se com a mensagem “problemas técnicos impediram que sua proposição fosse visualizada”. Ao tentar ligar para o suporte técnico, nenhum resultado.

Já no Senado, a mensagem diz “os serviços de internet ficarão suspensos entre 23:59 do dia 16/04/2014 até as 00:01 do dia 22/04/2014.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última