Publicidade

Posts com a Tag serristas

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012 Eleições | 12:01

Aliados de Serra no PSDB apostam que ele será candidato a prefeito de São Paulo

Compartilhe: Twitter

Antes as pressões sobre o ex-governador de São Paulo José Serra para concorrer à Prefeitura da capital este ano partiam dos seus adversários no PSDB, interessados apenas em tirá-lo da disputa com o senador Aécio Neves pela vaga de candidato do partido à Presidência da República em 2014.

Mas desde que o atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), se aproximou do candidato do PT, Fernando Haddad, a história mudou.

Agora são os aliados de Serra no partido que o têm pressionado a concorrer à Prefeitura.

Pelo menos dois desses aliados o procuraram recentemente com a seguinte argumentação:

Serra seria hoje o único dos possíveis candidatos do PSDB em condições de fazer frente a Haddad depois que o ex-presidente Lula aproximou Kassab do PT. Ainda mais com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) recusando-se a apoiar outros dois nomes que os serristas avaliavam como fortes: o vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD), e o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB).

Segundo esses tucanos têm argumentado com Serra, os nomes do PSDB que anunciaram a disposição de concorrer às prévias do partido para prefeito de São Paulo — José Aníbal, Bruno Covas, Andrea Matarazzo e Ricardo Trípoli — podem levar os tucanos a uma derrota fragorosa. E São Paulo seria, na avaliação destes serristas, a última cidadela importante da oposição contra a hegemonia petista no país.

Eles ainda não convenceram Serra a anunciar sua candidatura. Mas o fato é que, com seus próprios aliados agora defendendo que ele concorra à Prefeitura, será difícil para o ex-governador resistir.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011 Partidos | 12:37

O dilema do PSDB: ruim com Serra, pior sem ele

Compartilhe: Twitter

O senador Aécio Neves e o ex-governador José Serra (Foto: Ed Ferreira/AE)

Nos planos do senador Aécio Neves (PSDB-MG), depois das eleições municipais de 2012 começa a corrida pela definição da candidatura tucana à Presidência da República.

Hoje, no PSDB, só os serristas acreditam que há chances de o partido optar pela candidatura do ex-governador de São Paulo José Serra, e não pela de Aécio.

Mas uma coisa deixa os aliados de Aécio em pânico: a possibilidade de Serra lançar sua candidatura por outro partido — como o PPS, por exemplo — e dividir o eleitorado de oposição.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 9 de outubro de 2011 Eleições | 06:01

Roberto Freire: “PPS está aberto à candidatura de Marina em 2014 e até à filiação de José Serra”

Compartilhe: Twitter

Roberto Freire (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)

Presidente nacional do PPS, o deputado federal Roberto Freire (SP) informa em entrevista exclusiva ao Poder Online que o partido não está apenas filiando os aliados de Marina Silva pelo Brasil. Se a ex-candidata do PV à Presidência da República optar por também entrar na legenda, tem grandes chances de ser a candidata presidencial em 2014.

Mas Freire não se fixa apenas em Marina.

Segundo ele, o PSDB já optou pela candidatura do senador Aécio Neves à Presidência e anda tratando muito mal a seu candidato de 2010, o ex-governador de São Paulo José Serra. Por isso, além dos marineiros, já há serristas em conversas com a legenda. E o PPS também está aberto à filiação/candidatura do próprio José Serra:

Poder Online – O PPS anda filiando muitos aliados da candidata do PV à Presidência da República em 2010, Marina Silva. Isso não é meio incomum?

Roberto Freire –Nós já temos a experiência do Partido Comunista Italiano, que abriu a legenda para candidaturas de não-militantes. Inclusive elegendo o prefeito de Roma.

Desde que a Marina Silva saiu do PV, seu grupo partiu para a criação de um movimento apartidário. Mas, para concorrer às próximas eleições eles precisam estar filiados a alguma legenda. Tivemos um bom convívio desde que o PPS e o PV estiveram juntos num mesmo bloco parlamentar na Câmara e temos várias posições em comum. Não há conflitos.

Então conversamos no sentido de abrir o PPS, que é um partido democrático, para que os marineiros possam se candidatar pela legenda, onde quiserem, no Brasil inteiro. Depois, tanto eles como nós decidiremos o que fazer. Podemos inclusive ficar definitivamente juntos.

Poder Online – Está dando certo?

Roberto Freire –Creio que sim. Em São Paulo, por exemplo, o apoio dos marineiros tende a fortalecer bastante nossa candidata à Prefeitura, a Soninha. E o Ricardo Young, que foi candidato ao Senado pelo PV, deve obter uma grande votação para vereador.

Poder Online – E quanto à candidatura presidencial da Marina Silva pelo PPS? Ela é hipótese do partido?

Roberto Freire –É uma decisão da Marina se ela quer ou não se filiar ao partido. Creio que antes ela vai trabalhar o movimento que criou ao sair do PV. Mas nós estamos de braços abertos à sua filiação. O apoio à candidatura de Marina Silva à Presidência já é admitido mesmo ela estando fora da legenda. É claro que com os marineiros aqui esse diálogo aumenta e, se houver a filiação, a hipótese se torna ainda mais forte.

Poder Online – Mas e o José Serra? Ele foi candidato a presidente em 2010 com forte apoio do PPS e do senhor. Vocês o estão abandonando?

Roberto Freire –De forma alguma. O problema é o PSDB, que está tratando o Serra muito mal, assim como a seus filiados mais à esquerda. Já estamos, inclusive, conversando com alguns serristas.

Poder Online – Vai ter filiação de serristas ao PPS também?

Roberto Freire –Olha, é bem possível. Mas eu prefiro deixar esse assunto para quando estiver resolvido. Aí faremos um anúncio público.

Poder Online – E o Serra?

Roberto Freire –Pois é, se o PSDB continuar tratando-o tão mal, nada impede que ele também venha para o PPS. Estaremos de braços abertos.

Poder Online – Tratando mal? Como?

Roberto Freire –Ora, desde que acabaram as eleições de 2010. Vide o episódio da Convenção Nacional do partido. Colocaram o Serra num cargo decorativo, de presidente do Conselho Político.

Poder Online – O senhor acha que o PSDB já optou pela candidatura de Aécio Neves à Presidência, em 2014.

Roberto Freire –Acho. Não quero me meter nas questões internas de outro partido. Mas acho até que eles estão querendo fechar a discussão, impedir que outras candidaturas, como a do Serra, se coloquem. Neste caso, começam a empurrar as pessoas para fora da legenda.

Poder Online – Pode ser o caso do Serra?

Roberto Freire –Pode. Não para agora, naturalmente, porque esse é um assunto para as eleições de 2014. Mas outros nomes podem vir agora e o próprio Serra, mas adiante, seria muito bem-vindo. Trata-se de uma figura de grande expressão política no país e por quem o PPS tem o maior carinho. Estaremos, naturalmente, de braços abertos.

Poder Online – Marineiros e serristas juntos?

Roberto Freire –Quem sabe? Isso poderia dar até numa via alternativa ao que está aí colocado: Dilma versus Aécio. Quem sabe uma via alternativa, de esquerda e com respeito ao meio ambiente?

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de março de 2011 Estados | 14:00

Alckmin fortalece secretário de Segurança após divulgação de vídeo

Compartilhe: Twitter

O secretário de Segurança de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto (Foto: Luiz Guarnieri/AE)

No Palácio dos Bandeirantes, é atribuída à incansável luta dos insatisfeitos com o trabalho da corregedoria da polícia de São Paulo a  divulgação do vídeo mostrando um encontro do secretário paulista de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, com um jornalista da Folha de S. Paulo, no Shopping Pátio Higienópolis.

O tiro, porém, saiu pela culatra. O governador Geraldo Alckmin está disposto a fortalecer ainda mais o trabalho do secretário.

A amigos, Ferreira Pinto diz que se a corregedoria sair de seu gabinete e voltar ao controle da Polícia Civil, ele pede o boné. Desde a formação do secretariado, Alckmin havia comprado a briga do ex-secretário de José Serra, portanto, dificilmente irá ceder às pressões.

Como se sabe, desde 2009, 298 policiais foram demitidos e outros 324, expulsos ou exonerados.

Alguns assessores próximos ao secretário e deputados do PSDB descartam a hipótese de “fogo amigo”, na qual o principal citado em conversas reservadas é o secretário de Transportes, Saulo de Castro Abreu Filho, que foi titular da Segurança, devido à demissão de Tulio Kahn, ex-coordenador de Análise e Planejamento, acusado de vender o que não devia: informações sigilosas.

As suspeitas recaíram sob Saulo por ser, como dizem os tucanos, um legítimo “Alckmin puro”. Entenda-se: não que existam os impuros. É que há os serristas.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 Partidos | 13:06

Para onde vão os serristas

Compartilhe: Twitter

Ao contrário do que afirma José Serra, serristas existem sim. Neste momento de união dos tucanos paulistas, o plano do governador eleito, Geraldo Alckmin, é acomodar alguns serristas nos cargos de secretários adjuntos.

Autor: Tags: , , , ,