Publicidade

Posts com a Tag SPM

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 Governo, Política | 09:51

Pepe Vargas não esperará por Dilma e deve renunciar ainda hoje

Compartilhe: Twitter
O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas. (Foto: Agência Brasil)

O ministro de Direitos Humanos, Pepe Vargas (Foto: Agência Brasil)

O ministro dos Direitos Humanos, Pepe Vargas, não vai esperar o retorno da presidente Dilma Rousseff da viagem aos Estados Unidos, para sair da secretaria. Pepe deve renunciar ao cargo ainda nesta sexta-feira (25), para reassumir seu mandato de deputado federal na segunda-feira (28).

Na reforma ministerial que deverá ser anunciada na próxima semana, a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) será fundida com as pastas de Igualdade Racial (SEPIR) e Mulheres (SPM), formando o Ministério da Cidadania.

As secretárias de Mulheres, Eleonora Menicucci, e da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, também já foram informadas pela presidente sobre suas demissões, em uma conversa no Palácio da Alvorada, que contou com a presença do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, cotado para comandar a nova pasta.

A conversa ocorreu em clima de tensão, na avaliação de petistas, diante da inabilidade política de Dilma. O comunicado de saída e de fusão ocorreu na frente do cotado para assumir a pasta. Ministros demissionários avaliaram que “foram os últimos a saber” dos planos da presidente para a área.

Pepe já havia sido retirado da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), onde permaneceu por um curto espaço de tempo, no início do primeiro mandato de Dilma. Sua ida para Direitos Humanos se deu em um clima de compensação, que não mereceu da presidente nem uma cerimônia de posse.

Na época, Pepe também fez o papel de “último a saber”. Suas funções no Planalto acabaram sendo entregue ao vice-presidente Michel Temer, cujo partido, o PMDB, exigia sua saída da articulação.

 

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 28 de novembro de 2014 Internacional | 18:30

Premiadas do ‘Nobel Humanitário’ debatem violência contra a mulher no Brasil

Compartilhe: Twitter
Rede Borboletas recebe Prêmio Nansen, conhecido como Nobel Humanitário da ONU. (Foto: Acnur)

Rede Borboletas recebe Prêmio Nansen, conhecido como Nobel Humanitário da ONU. (Foto: Acnur)

A ONG colombiana de enfrentamento à violência contra as mulheres Rede Borboletas foi convidada para participar da programação dos 16 Dias de Ativismo contra a Violência Sexual e de Gênero, no Brasil. Neste ano, a entidade recebeu o Prêmio Nansen, conhecido como o Nobel Humanitário das Nações Unidas.

Leia também: Governo monitora denúncias de estupro na USP

As colombianas serão homenageadas na reunião de Cartagena +30, em Brasília, onde estarão reunidos todos os países da América Latina e Caribe para debater a situação dos refugiados na região.

No fim de semana, representantes da entidade visitarão a Cidade Estrutural, na periferia de Brasília, para conhecer a realidade local do enfrentamento à violência contra a mulher e à discriminação racial.  As colombianas também visitarão a Central de Atendimento à Mulher da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, mais conhecido como Ligue 180.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 18 de setembro de 2014 Governo | 16:30

Itamaraty cria comitê pela igualdade de gênero e raça

Compartilhe: Twitter
Ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado. (Foto: Agência Brasil)

Ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado. (Foto: Agência Brasil)

Foi criado nesta semana um comitê para combater a discriminação de gênero e raça no Ministério das Relações Exteriores. O grupo surgiu a partir da mobilização de mais de 200 mulheres, que há alguns meses entregaram uma carta com reivindicações ao ministro Luiz Alberto Figueiredo Machado. Entre as demandas estavam a criação de um comitê temático e uma sala de amamentação, também instalada nesta semana.

“O que eu acho mais histórico é que pela primeira vez as mulheres trocaram experiências entre si e se apoderaram dessa identidade feminina. Antes as mulheres queriam ser vistas como assexuadas, pois estavam em um ambiente eminentemente masculino e admitir certas questões tipicamente femininas poderia levar a um preconceito na carreira”, explica a diplomata e coordenadora do comitê, Sônia Gômes.

De acordo com Sônia, mais da metade das diplomatas têm participado da mobilização – inclusive do exterior. Uma das principais resistências, no entanto, ainda é com as profissionais mais antigas. “Existe uma cultura muito disfarçada de que a competência é ficar até tarde no trabalho e de que a maternidade pode se tornar incompatível com certas tarefas. Algumas diplomatas entraram em pânico, dizendo que ia parecer que nós não queríamos trabalhar. Mas a geração mais jovem está dizendo o contrário, que não quer só uma coisa ou outra. Quer poder escolher casar, ter filhos e trabalhar.”

O grupo se reunirá pela primeira vez na próxima quarta-feira e um dos desafios já apontados por Sônia está no mapeamento racial dos funcionários do Itamaraty, que até hoje não foi realizado. Para isso, o grupo trabalhará em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres e com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 16 de maio de 2014 Governo | 07:30

Ministra não responderá a ofensas de Bolsonaro

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. (Foto: Agência Brasil)

Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. (Foto: Agência Brasil)

Até o momento, a ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, não tomou nenhuma providência formal acerca das ofensas feitas pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PR-RJ) – e nem pretende.

Leia mais: Bolsonaro baixa nível e xinga ministra de Políticas para Mulheres

Aos mais próximos, Eleonora diz estar exausta, sem disposição para esse enfrentamento.

 

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 12 de maio de 2014 Diplomacia | 10:30

Deputadas cobram ação do governo sobre sequestro de meninas na Nigéria

Compartilhe: Twitter
Ex-coordenadora da bancada feminina da Câmara dos Deputados, Janete Pietá (PT-SP). Foto: Divulgação

Ex-coordenadora da bancada feminina da Câmara dos Deputados, Janete Pietá (PT-SP). Foto: Divulgação

As deputadas da bancada feminina e da Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados cobram do Itamaraty e da Secretaria de Políticas para as Mulheres uma posição sobre o sequestro de centenas de adolescentes entre 12 e 18 anos, pelo grupo Boko Haram.

Saiba mais: Conheça as centenas de jovens raptadas na Nigéria

“Solicitamos ao governo brasileiro que exija dos organismos internacionais ações efetivas para a busca das estudantes, apuração do caso e punição dos envolvidos”, diz a nota.

O documento encaminhado aos órgãos e à embaixada da Nigéria no Brasil também cobra “a oferta de auxílio técnico e militar para a resolução deste atentado terrorista às jovens, suas famílias e aos tratados internacionais de direitos humanos”.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 9 de maio de 2014 Congresso | 08:00

Bolsonaro baixa nível e xinga ministra de Políticas para Mulheres

Compartilhe: Twitter
Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. (Foto: Agência Brasil)

Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. (Foto: Agência Brasil)

O deputado Jair Bolsonaro baixou o nível ao xingar na última quarta-feira, durante reunião que discutia o polêmico Estatuto da Família, a ministra de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci.

Leia também: ‘Família será o mote da campanha do pastor Everaldo’, diz líder do PSC

“Ela me disse ‘não é porque tenho mais de 60 anos que não continuo fazendo sexo’ – mentira! Com aquela cara, nem com viagra na veia”, afirmou Bolsonaro.

A plateia, recheada de evangélicos, referendou o comportamento do parlamentar. Sob aplausos e risadas dos presentes, ele ainda finalizou chamando a ministra da SPM de “feia pra caramba”.

 

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 17 de abril de 2014 Governo | 14:00

Ministério da Defesa terá comissão de gênero

Compartilhe: Twitter
O ministro da Defesa, Celso Amorim (Foto: AP)

O ministro da Defesa, Celso Amorim (Foto: AP)

Com o objetivo de reduzir a desigualdade entre homens e mulheres nas Forças Armadas, o Ministério da Defesa instituiu uma Comissão de Gênero, que terá representantes da Marinha, Exército e Aeronáutica – além de outras instâncias do Ministério.

Apesar de ser apenas consultiva, a comissão será responsável por elaborar atividades de sensibilização e capacitação dos servidores, além de orientar a atuação da Defesa em espaços institucionais sobre políticas para mulheres.

Além da Defesa, já contam com comissões especializadas na temática de gênero os ministérios da Saúde, Meio Ambiente, Agricultura, Minas e Energia, Desenvolvimento Agrário e órgãos como Funai, Ipea, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.
Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 8 de abril de 2014 Governo | 14:26

Governo defende apoio a diversidades de gênero e raça no PNE

Compartilhe: Twitter
Manifestantes católicos e evangélicos têm pressionado contra o artigo que defende a diversidade de gênero. (Foto: Agência Câmara)

Manifestantes católicos e evangélicos têm pressionado contra o artigo que defende a diversidade de gênero. (Foto: Agência Câmara)

Com o acirramento da disputa sobre o Plano Nacional da Educação, o governo encaminhou aos deputados duas notas técnicas que defendem a aprovação do relatório do deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), no que diz respeito ao artigo criticado pela bancada religiosa.

Os textos foram elaborados pelas Secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM) e de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e reforçam a importância de se aprovar o artigo que prevê “a superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual”.

“É fundamental que o PNE aponte para estas questões e que leve em conta a importância e a responsabilidade da educação formal para a não reprodução de estereótipos, preconceitos e sexismo e assim garantir o cumprimento dos princípios fundamentais da nossa Constituição”, afirma a nota assinada pela Coordenadora Geral de Educação e Cultura da SPM, Leticia Cortellazzi Garcia.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 2 de abril de 2014 Congresso | 08:00

Henrique Alves promete votar projeto que endurece investigação sobre violência policial

Compartilhe: Twitter

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), garantiu que um dos primeiros pontos de pauta no Plenário da Câmara, na semana que vem, será o projeto que determina a investigação imediata de todas as mortes resultantes de operações policiais.

O compromisso foi acordado em reunião com o rapper GOG, o líder do PT na Casa, Vicentinho (PT-SP), e representantes do Ministério da Justiça e das secretarias de Políticas para Mulheres e da Promoção da Igualdade Racial.

Leia mais: Anistia Internacional critica polícia e diz que Brasil vive déficit de justiça

O PL 4471/2012, do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), tem o objetivo de acabar com o uso indiscriminado da justificativa de “resistência seguida de morte”, os chamados autos de resistência.

“Ele nos permite dizer quem são os bons policiais – a maioria esmagadora da categoria – e quem são aqueles que mancham o caráter da instituição, com abuso da força”, afirmou o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira.

Assista ao depoimento do rapper GOG:

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 1 de abril de 2014 Governo | 16:00

Governo pede reunião com organizadora de campanha contra estupro

Compartilhe: Twitter

A Secretaria Nacional de Juventude planeja se reunir com a jornalista Nana Queiroz,  organizadora da campanha “Não Mereço Ser Estuprada”.

Nana Queiroz

Nana Queiroz

A iniciativa veio após o apoio oficial à campanha, por parte da presidente Dilma Rousseff e da ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci.

No Twitter, a presidente Dilma Rousseff declarou apoio à jornalista, que sofreu ameaças de estupro, após o início da campanha. Nesta terça-feira, Eleonora Menicucci também aderiu à manifestação com direito a foto e nota de apoio.

Virtualmente, a campanha teve mais de 45 mil participantes e, inclusive, a adesão de personalidades como as cantoras Daniela Mercury e Valeska Popozuda.

O protesto foi motivado pelos resultados de uma pesquisa do Ipea, segundo a qual a maioria dos brasileiros acredita que o comportamento das mulheres pode causar estupros.

 

 

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última