Publicidade

Posts com a Tag terceirização

quarta-feira, 29 de abril de 2015 Congresso | 16:15

Base diz que cobrará coerência do governo por postura na votação da terceirização

Compartilhe: Twitter

Deputados da base aliada pretendem dar o troco no governo na próxima semana, durante a votação das Medidas Provisórias do ajuste fiscal.

Muitos deputados dos partidos da base sentem-se traídos pelo governo e pelo PT por causa da postura adotada durante a votação do PL 4330, que prevê a terceirização da mão de obra pelas empresas.

Dizem que os governistas expuseram a posição daqueles que apoiaram a proposta de forma injusta e que por isso acabaram sendo alvo de protestos em suas bases e nas redes sociais.

Por causa disso, líderes argumentaram que será praticamente inevitável que deputados dos partidos da base não cobrem coerência do governo durante a votação das medidas do ajuste fiscal e até ironizem a presidente Dilma Rousseff nas votações.

 

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 28 de abril de 2015 Governo | 16:07

Renan volta à rota de colisão com Dilma. Assista

Compartilhe: Twitter

Dilma Rousseff que se cuide.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, tem voltado a reclamar da presidente da República em suas conversas tanto públicas como privadas.

Não foi gratuita sua declaração de hoje pela manhã, segundo a qual, se continuar assim, Dilma terá cada vez maios dificuldades para fazer pronunciamentos públicos sob o risco de se submeter a panelaços (veja vídeo abaixo).

Renan mandou foi um recado à presidente de que está irritado.

Primeiro, porque Dilma havia lhe dito que não ia demitir o seu apadrinhado no Ministério do Turismo, Vinicius Lages, mas demitiu.

Depois, porque atribui ao Palácio do Planalto a origem de informações de que está fazendo outras indicações para o segundo escalão do governo.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 22 de abril de 2015 Congresso | 18:00

Defensores da lei da terceirização preparam ato na Câmara

Compartilhe: Twitter
Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

Após verem as críticas ao Projeto de Lei 4330/2004 ganharem força em meio à opinião pública e, consequentemente, entre os parlamentares, setores empresariais decidiram reforçar o lobby no Congresso Nacional.

Nesta quarta-feira, além de procurarem os deputados, um grupo de defensores do projeto preparou um ato silencioso, na galeria da Câmara dos Deputados. A ideia é aguardar o momento da votação no local e, então, vestir camisas verdes e amarelas, como forma de dizer que a nova lei seria um avanço para o Brasil.

Blog do Kennedy: Dilma deve vetar pontos da lei da terceirização

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 15 de abril de 2015 Congresso | 07:00

Skaf aguarda ansioso resultado da votação sobre terceirização

Compartilhe: Twitter
Paulo Skaf (Foto: Divulgação)

Paulo Skaf (Foto: Divulgação)

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, nem disfarça a ansiedade com a votação do projeto que regulamenta a terceirização.

O peemdebista decidiu embarcar nesta quarta-feira para Brasília para acompanhar de perto as negociações no Congresso.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 14 de abril de 2015 Congresso | 09:00

‘O Diabo está nos detalhes’, diz Carlos Zarattini, sobre terceirização

Compartilhe: Twitter

Diante da expectativa para a votação do projeto da terceirização na Câmara, o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) se queixa de artigos que, segundo ele, tornam “preocupante” a possibilidade de aprovação do texto. Ele afirma que haverá um esforço para alterar o projeto na Câmara, mas admite que as esperanças do governo para barrar os pontos que considera críticos no projeto estão principalmente no Senado.

“O Diabo está nos detalhes e esses detalhes são aqueles que permitem a essas empresas que terceirizem as atividades-fim”, afirma o petista, citando especificamente emendas negociadas pelo deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical (SDD-SP). Paulinho disse ao Poder Online, no último domingo, que o PT e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) “mentem para a população”, ao defenderem a derrubada do texto.

Assista:

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 12 de abril de 2015 Congresso | 08:00

Sob crítica por causa da terceirização, Paulinho dispara contra o PT: ‘Mentem para a população’

Compartilhe: Twitter

O deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical, anda penando nas redes sociais para explicar o apoio ao projeto que regulamenta a terceirização, cujo texto-base foi aprovado nesta semana no Congresso. O sindicalista minimiza as críticas. Diz que há “um ou outro desinformado”. E todo o resto é “gente do PT e da CUT”.

“E o PT e a CUT estão mentindo para a população”, diz Paulinho. Segundo ele, o projeto garante direitos aos trabalhadores terceirizados, que hoje “estão abandonados”. Confira a entrevista:

O senhor passou a ser duramente atacado nas redes sociais, por conta da posição favorável ao projeto da terceirização. Como líder sindical, como o senhor se sente no alvo dos ataques? 
Minha participação em toda a negociação relacionada a esse projeto foi de acordo com a posição adotada pelas centrais sindicais. Das seis centrais sindicais, quatro concordaram que eu apresentasse emendas ao projeto, de forma a garantir que sejam corrigidos os erros e respeitados os direitos dos trabalhadores. E, uma vez incluídas essas emendas, eu, naturalmente, passei a apoiar a proposta. Ter qualquer posição diferente não faria sentido.

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Paulinho da Força Sindical (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

Que erros essas emendas corrigiram?
Este é um projeto com 23 artigos, dos quais 19 tratam de direitos dos trabalhadores. Trouxemos 12,7 milhões de trabalhadores que não tinham proteção alguma para uma estrutura com proteção. Agora, eles têm direitos. Também garantimos direitos aos trabalhadores que forem fruto de terceirizações futuras. Minhas emendas dão garantia, por exemplo, de que os trabalhadores terceirizados terão a mesma convenção coletiva da categoria a que pertenciam. Também reafirmam que a empresa tem que estar previamente registrada na categoria certa. E – uma que ainda não foi votada – torna a empresa solidária. Ou seja, a empresa que contrata tem que garantir o cumprimento dos direitos dos trabalhadores, sob pena de pagar a conta duas vezes. Ainda garantimos que, em até 10 dias após a terceirização, a tomadora do serviço informe ao sindicato a operação. Isso repassa ao sindicato a tarefa de fiscalizar.

Mas isso, na sua visão, dá mais proteção que a CLT? 
Com isso, o trabalhador terceirizado terá a mesma proteção que trabalhadores normais. Hoje, o que os trabalhadores têm para fiscalizar é só o Ministério do Trabalho, que está em frangalhos.

Mas, no seu Facebook, por exemplo, é uma enxurrada de críticas. 
Ali é gente do PT e da CUT. Eles querem atacar os adversários. Eu conto ali: de 10, 9 são do PT. Só um ou outro é algum desinformado. Mas eu não me guio pelo Facebook. Me guio pela rua. Cheguei no aeroporto outro dia e quase perdi o voo porque as pessoas queriam tirar foto comigo, falar sobre o projeto.

As pessoas na rua elogiaram o projeto para o senhor? 
Claro. A verdade é que hoje dois de três trabalhadores são terceirizados e estão absolutamente abandonados. E o PT e a CUT estão mentindo para a população. Vamos fazer reuniões com sindicatos, vamos explicar exatamente do que se trata.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 10 de abril de 2015 Congresso | 11:00

Terceirização vira oportunidade para o PT

Compartilhe: Twitter
Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

Plenário da Câmara (Foto: Mel Bleil Gallo / iG Brasília)

O projeto que regulamenta a terceirização virou uma oportunidade para o PT. É a chance de o partido tentar se reconectar com sua base e ao menos amenizar a crise de imagem que vive com sua própria militância, avalia um deputado do partido.

Os petistas de fato têm ido além da negociação no Congresso para criticar o projeto, cujo texto básico foi aprovado nesta semana na Câmara. Vários dirigentes e líderes da legenda usaram as redes sociais nos últimos dias para fazer campanha contra a votação.

Um dos que entraram em campanha foi o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini. O petista soltou vários posts no Facebook sobre o tema nos últimos dias.

Autor: Tags: , ,