Publicidade

Posts com a Tag uso da máquina

segunda-feira, 28 de novembro de 2011 Justiça | 09:01

TSE julgará onze governadores

Compartilhe: Twitter

Esta semana o Tribunal Superior Eleitoral deve  julgar ação contra a posse do governador de Roraima, José Anchieta Junior (PSDB).

São 11 os governadores eleitos em 2010 cujos mandatos estão sendo contestados no TSE sob acusação de uso da máquina ou abuso de poder econômico.

Em sua maioria, ou eram candidatos à reeleição, ou tinham o apoio do governo anterior.

Além de Anchieta, estão na fila do Tribunal: André Puccinelli (PMDB-MS), Antônio Anastasia (PSDB-MG), Cid Gomes (PSB-CE), Omar Aziz (PMN-AM), Roseana Sarney (PMDB-MA), Sérgio Cabral, Siqueira Campos (PSDB-TO), (PMDB-RJ),  Teotônio Vilela (PSDB-AL), Tião Viana (PT-AC) e Wilson Martins (PSB-PI).

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 27 de agosto de 2010 Eleições | 20:30

Hélio Costa pede cassação de Anastasia por uso da máquina

Compartilhe: Twitter

Hélio Costa (Foto: Leonardo Lara/Aldeia)

Diante da reação nas pesquisas de intenção de voto do candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, Antônio Anastasia, a coligação “Todos Juntos por Minas”, do pemedebista Hélio Costa, decidiu abrir fogo contra o Palácio da Liberdade.

A estratégia é aumentar as denúncias na Justiça contra o uso da máquina pelo candidato do ex-governador Aécio Neves (PSDB).

Costa começou a tática agora há pouco ao entrar na Justiça Eleitoral com uma ação pedindo a cassação do registro da candidatura de Anastasia. Segundo o texto, entre os dias 1 de junho e 3 de julho, o Estado de Minas Gerais firmou 3.545 convênios com 842 municípios.

Somente no dia 30 de junho, alegam os advogados de Costa, foram publicados 681 convênios de repasses voluntários de recursos para as prefeituras, totalizando mais de R$ 982 milhões. No mesmo período de 2009, foram liberados aos municípios, em convênios semelhantes, apenas R$ 54 milhões – ou seja, 18 vezes menos, o que caracterizaria o abuso de poder econômico visando beneficiar a campanha de Anastasia e a tentativa de cooptação dos prefeitos mineiros, de acordo com a acusação de Costa.

O pemedebista afirma ainda, na ação judicial, que “objetivando garantir o apoio dos prefeitos beneficiados, vários convênios são parcelados, ou seja, a liberação dos recursos é feita aos poucos, ao longo do período eleitoral.”

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 18 de agosto de 2010 Eleições | 06:08

PV sente o peso da pressão da máquina do governo

Compartilhe: Twitter

O PV detectou o peso da mão forte da máquina do governo no âmago da campanha de Marina Silva. Faz parte de uma estratégia, acreditam os verdes, para impedir o crescimento do partido nas pesquisas de intenção de voto e facilitar a liquidação da fatura no primeiro turno.

É coisa para deixar Marina sem fôlego. E, como se sabe, oxigênio de campanha não é ar puro. É dinheiro.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 16 de julho de 2010 Eleições | 05:03

Ministro Padilha “padilha” o dia todo

Compartilhe: Twitter

Alexandre Padilha (Foto: ABr)

Depois o ministro da Articulação Política, Alexandre Padilha, fica bravo quando dizem que ele está padilhando muito.

Até as 16h04 de ontem, Padilha tinha postado em sua página no twitter 37 tweets (os posts de até 140 caracteres). É uma média 1,5 post a cada 15 minutos.

Ou seja, não foi só na hora do almoço.

Padilha encheu seus 3.427 seguidores de dados sobre pobreza, produção industrial, Pronaf, Prouni e outras bandeiras de campanha da candidata Dilma Rousseff (PT).

O curioso é que o Congresso Nacional está parado. Ou seja, Padilha estava sem articulação política a fazer.

Aliás estava em Curitiba para o seminário “Agenda para um novo ciclo de desenvolvimento.” Segundo a assessoria do ministro, ele só estava postando números relativos ao evento, dados conhecidos e públicos, sem citar Dilma – o que é permitido pela cartilha a Advogacia Geral da União.

Mas pelo ritmo da numeralha, Padilha acaba presidente do IBGE.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 1 de julho de 2010 Eleições | 09:31

O ministro Padilha está padilhando muito

Compartilhe: Twitter

O twitter do ministro da Articulação Política, Alexandre Padilha, é “@padilhando”. Ninguém jamais descobriu o que significa o verbo “padilhar”. 

Depois de o ministro divulgar as fotos de reuniões para tratar assuntos de campanha em seu gabinete, a oposição tucana está convencida de que “padilhar”  pode significar alguma coisa proibida pela Justiça Eleitoral.

O pior é que tem muita gente “padilhando” Brasil afora.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de junho de 2010 Eleições | 12:23

Ministro Padilha, mesmo no cargo, entra na campanha

Compartilhe: Twitter

Logo, logo as oposições vão começar a pegar no pé do ministro da Relações Institucionais da Presidência da República.

Ontem ele anunciou no seu twitter três movimentos de campanha que, segundo oposicionistas, podem ser alvo de ação na justiça eleitoral:

1) Deu em primeira mão a notícia de que Osmar Dias aderiu o PT e decidiu lançar-se a governador do Paraná;

2) Anunciou (com a foto ao lado) reunião com o presidente do PT de Tocantins e, logo depois, o partido, no Estado, decidiu abrir mão da candidatura ao governo para apoiar o PMDB, conforme queria a cúpula nacional petista;

3) E, ainda no twitter (também com foto), anunciou reunião com o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e o presidente nacional do PSC, deputado Pastor Everaldo, seguida da adesão do partido à candidatura de Dilma Rousseff, rompendo com o tucano José Serra.

4) Em tempo: as fotos são em seu gabinete ministerial.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 27 de maio de 2010 Eleições | 17:58

Governo vai manter ação casada com a campanha de Dilma

Compartilhe: Twitter

Além do combate ao crack e da ideia de um ministério para pequenos e médios empreendedores, outras “sugestões” da candidata Dilma Rousseff (PT) vão continuar a encontrar ressonância com as ações do governo.

Esta é considerada uma tática legítima pelo governo e pelo comando da campanha. Segundo o ministro Franklin Martins, esta sintonia é natural, a despeito de críticas, sem caracterizar uso da máquina do Estado:

– Eu acharia absurdo se a candidata do governo estivesse descasada das ações governamentais. A oposição acha que o presidente não deve apoiar um candidato. Esse é o problema. É o medo do prestígio eleitoral do presidente Lula, comentou o ministro, agora há pouco, para esta coluna.

Autor: Tags: , , , ,