Publicidade

Posts com a Tag Zé Geraldo

terça-feira, 5 de maio de 2015 Congresso | 17:57

Claque de Paulinho da Força vaia petistas no plenário da Câmara

Compartilhe: Twitter

Enquanto aguardam o início da sessão que começará a apreciar as medidas provisórias do ajuste fiscal, manifestantes com camisetas da Força Sindical fazem marcação cerrada contra petistas.

Toda vez que um petista faz um discurso no plenário da Câmara, acaba sendo vaiado e provocado pelo grupo, que aplaudiu efusivamente quando o deputado Paulinho da Força adentrou o local para registrar sua presença.

Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro José Dirceu, foi uma das vítimas. Outro que passou pela mesma situação foi Zé Geraldo (PT-MA), que ao terminar sua fala, foi alvo do grupo.

Assista:

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 24 de novembro de 2014 Congresso | 07:30

Petista propõe que Petrobras opere no Regime Diferenciado de Contratações

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Zé Geraldo (PT-PA). Foto: Divulgação

O deputado federal Zé Geraldo (PT-PA). Foto: Divulgação

No embalo das recentes denúncias da Operação Lava Jato da Polícia Federal, o deputado Zé Geraldo (PT-PA) decidiu apresentar um projeto de lei para que a Petrobras funcione dentro do Regime Diferenciado de Contratações.

“No mais tardar na quarta-feira eu apresentarei esse projeto. Além de punir os corruptos e corruptores, a gente precisa eliminar a raiz da corrupção”, diz Zé Geraldo. “Não vai engessar a gestão, como na Lei de Licitações, mas também não facilitará a corrupção, como é hoje.”

O petista propõe a revogação da chamada Lei do Petróleo, aprovada em 1997 com o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A lei permitiu a flexibilização do regime de contratações da Petrobras, atualmente dispensada de seguir a Lei 8.666, que rege as licitações públicas.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 25 de junho de 2014 Eleições | 10:30

‘Foi uma decisão errada do STF’, critica deputado paraense sobre bancadas estaduais

Compartilhe: Twitter
O deputado federal Zé Geraldo (PT-PA). Foto: Divulgação

O deputado federal Zé Geraldo (PT-PA). Foto: Divulgação

O grupo interessado na redistribuição das bancadas estaduais se conformou em adiar a negociação para a próxima legislatura, após a decisão do Supremo Tribunal Federal que atribuiu aos parlamentares a decisão final – e não ao TSE.

“Agora já não dá mais tempo, até porque todas as convenções acontecem até o dia 30”, afirmou deputado federal paraense Zé Geraldo (PT). “Mas foi uma decisão errada do STF, né? É constrangedor, até. Como que o Congresso vai legislar em causa própria?”, questionou o petista.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 28 de maio de 2014 Eleições | 12:00

Deputados voltam ao STF para pedir redistribuição de vagas por estado

Compartilhe: Twitter
Ministra do STF, Rosa Weber (Foto: Agência Brasil)

Ministra do STF, Rosa Weber (Foto: Agência Brasil)

A ministra do STF Rosa Weber recebeu, na tarde da última terça-feira, um grupo de deputados do Pará interessados em resolver o impasse gerado entre o Congresso Nacional e o TSE sobre a redistribuição de deputados por estado, com base no último censo do IBGE.

Não foi muito animadora, porém, a conversa com os deputados paraenses Zé Geraldo (PT), Beto Faro (PT), Miriquinho Batista (PT), Flexa Ribeiro (PSDB), Nilson Pinto (PSDB) e Giovanni Queiroz  (PDT), que pretendem aumentar a presença do estado na Câmara em quatro cadeiras.

Rosa Weber adiantou que não deve julgar nem as ações de inconstitucionalidade apresentadas por deputados que reivindicam a manutenção da atual composição, nem tampouco o mandado de segurança impetrado por Zé Geraldo – que contesta a tramitação dos projetos de lei que invalidariam a decisão do TSE que redistribui as vagas.

Com a atualização definida pelo TSE, o Pará teria direito a quatro cadeiras mais, na próxima legislatura. Ceará e Minas Gerais ganhariam mais duas cadeiras e Amazonas e Santa Catarina receberiam uma a mais. Por outro lado, Paraíba e Piauí perderiam dois deputados federais, enquanto Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Alagoas e Rio Grande do Sul perdem um.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 17 de maio de 2013 Partidos | 21:21

‘Fui contratado para fazer show, não para falar de política’, diz Zé Geraldo sobre festa do PT

Compartilhe: Twitter

O Diretório Municipal de São Paulo do PT promove na noite desta sexta-feira (17) um ato em comemoração aos dos 33 anos de fundação do partido e dez anos de governo com a presença do cantor Zé Geraldo.

Compositor de “Milho aos pombos”, “Cidadão”, “Como Diria Dylan”, entre outros, Zé Geraldo militou pelo partido por décadas e fez shows em comícios petistas sem cobrar nada. No entanto, ao ser questionado sobre o show de hoje, o cantor não quis conversar sobre política.

“Fui contratado para fazer show, não para falar de política. Enquanto meu coração mandou, eu militei. No início da caminhada fiz muito show gratuito, estava envolvido. Hoje, sou artista e estou sendo contratado, reconheceram meu trabalho”, afirmou Zé Geraldo ao Poder Online.

O cantor afirmou que deixou a política há cerca de dez anos. “Não estou a fim mais de falar de militância, de mexer com isso. Não milito mais, pulei fora do barco, há uns 10 anos. Nem voto mais, eu lutei por democracia, pelo direito ao voto direto, mas não voto mais”, afirmou sem querer estender o assunto.

A data bate com a campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência. Em 2002, ao saber que o marqueteiro da campanha da época, Duda Mendonça, estava pagando para a dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano cantar nos comícios de Lula, Zé Geraldo chegou a ir ao comitê do PT pedir para ser contratado.

No entanto, na época, o partido optou por cantores populares e deixou Zé Geraldo e Walter Franco -autor de “Canalha”, que também cantava de graça em eventos do PT- de fora.

Zé Geraldo está na estrada com seu trabalho mais recente, o “DVD Cidadão: 30 e poucos anos”, que reúne os principais sucessos de seus 30 e poucos anos de carreira.

“Milho aos Pombos”, de 1981, apresentada no festival da Globo, segundo o próprio compositor, retrata o período da ditadura e foi censurada. É uma das músicas que não pode faltar em seus shows.

“Não pode negar a história, essas músicas tiveram importância. O cenário não mudou, ainda continuamos lutando contra ditaduras. O mundo mudou muito pouco, mudaram as armas. Minha história não terminou, ‘Cidadão’ vai ser cantada eternamente. Não tem espaço nas rádios porque não tenho grana para comprar espaço. O fato das minhas músicas não tocarem em rádios não quer dizer que não sejam músicas atuais”, afirmou o compositor.

O cantor e compositor Zé Geraldo (Foto: Divulgação)

Com Ricardo Galhardo, do iG São Paulo

Autor: Tags: ,